Giovanna Grigio revela encontro com ex-integrante do RBD: "Desejou boa sorte"

Giovanna Grigio interpreta Emilia na série
Giovanna Grigio interpreta Emilia na série "Rebelde". (Foto: Divulgação/Mateus Aguiar)

Giovanna Grigio faz parte da geração que foi impactada pelo sucesso de “Rebelde”, e não imaginava que um dia estaria participando de um reboot da novela mexicana, que foi exibida no Brasil pelo SBT em 2005. Para gravar as duas temporadas da série da Netflix, ela recebeu o incentivo de um ex-integrante do RBD.

“Um dia acabei encontrando o Christian Chávez em um evento e ele foi um querido, desejou boa sorte e tudo mais”, disse em entrevista ao Yahoo. Ela conta que sempre foi fã da novela, mas sua personagem favorita era outra: “Eu gostava muito da Lupita, eu era bem menina boazinha”, brincou.

O segundo ano da série, que já está disponível na plataforma de streaming, retrata o lado mais frágil dos personagens ao discutir a pressão que eles sofrem para serem bem sucedidos tão jovens. Grigio explica que Emilia, sua personagem, “ganha mais camadas” nos novos episódios com esses conflitos pessoais.

“Depois do fim da batalha das bandas na primeira temporada ela acabou se colocando em um lugar pouco seguro em relação a sua carreira, e isso mexe bastante com ela, fazendo ela tomar decisões não tão corretas, apesar de ela achar que está fazendo o certo”, acrescentou.

Relacionamento de Emília e Andi

A primeira temporada de “Rebelde” mostra Emilia se apaixonando por Andi (Lizeth Selene), tendo que escolher entre uma relação conveniente com Sebas (Alejandro Puente) ou viver um relacionamento verdadeiro com a baterista. Mas na segunda temporada, as coisas entre o casal ficam ainda mais complicadas.

Giovanna Grigio e Lizeth Selene como Emilia e Andi na série
Giovanna Grigio e Lizeth Selene como Emilia e Andi na série "Rebelde". (Foto: Divulgação/Netflix)

“Acho que talvez seja uma das coisas que causa conflito entre elas, mas acho que a falta de maturidade e diálogo é a principal falha das duas”, analisa Giovanna. “As situações vão exigir que as duas amadureçam pra poder seguir em frente juntas.”

A série se destacou desde o início ao apresentar uma trama com mais representatividade e diversidade que as versões anteriores. Somando com a química entre a dupla, Andi e Emília se tornaram rapidamente um dos casais mais queridos do público.

“Eu sempre digo que hoje em dia uma obra não pode se considerar minimamente realista sem representatividade, principalmente falando de adolescentes, que estão em fase de descoberta”, destacou ela. “O público recebeu elas super bem, melhor do que eu esperava, eu recebo muitas mensagens de carinho e fico feliz em poder fazer parte dessa história, que é tão importante para eles”.

O estilo de Emília

Mais de uma década se passou desde que a versão mexicana de “Rebelde” foi ao ar. Os uniformes da EW continuaram nos tons de vermelho, azul e branco, como os usados por Anahí, Dulce Maria, Alfonso Herrera, Maite Perroni, Christopher von Uckermann e Christian Chávez, mas estão muito mais modernos e com identidade própria na série da Netflix.

Elenco do reboot de
Elenco do reboot de "Rebelde". (Foto: Divulgação/Netflix)

O estilo de Emilia representa bem a geração Z e faz muitas referências à estética que marcou os anos 1990 e 2000. A atriz conta que deu alguns pitacos no processo de caracterização e elogiou o trabalho feito pela figurinista Nayeli de Alba.

“A Emília tem uma auto estima super alta, então pra mim era super importante me sentir gata também! Na primeira temporada, nossa figurinista Nayeli de Alba, que é uma ARTISTA, criou uma identidade super forte pra Emilia, então eu conseguia ver bem o que funcionaria ou não pra ela. Eu que sugeri o look da balada do Okane na segunda temporada, fiquei feliz que aceitaram!”, completou.

Saak como Okane na segunda temporada de
Saak como Okane na segunda temporada de "Rebelde". (Foto: Reprodução/Netflix)