Gleisi diz que Ciro fez aliança com Bolsonaro para atacar Lula

Gleisi Hoffmann (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Gleisi Hoffmann (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

Presidente do PT (Partido dos Trabalhadores), a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse nesta segunda-feira (29), em entrevista a jornalistas, que o candidato Ciro Gomes (PDT) fez uma “aliança” com o presidente Jair Bolsonaro (PL) para atacar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no debate que aconteceu na noite de domingo (28).

“O presidente Lula foi muito simpático em relação ao Ciro mas também colocou as coisas como tinha que colocar, a responsabilidade política dele perante ao Brasil. Eu só lamento que ele tenha feito uma aliança com o Bolsonaro para atacar o Lula”, avaliou Gleisi.

No entanto, de acordo com registro do portal UOL, a presidente do PT disse que isso não inviabiliza futuras alianças para um possível segundo turno, e que é um assunto que deve ser debatido “mais para frente”.

À imprensa, Gleisi também lamentou uma publicação de Ciro nas redes sociais fazendo insinuação sobre a saúde do adversário petista. Depois, a publicação foi apagada.

“Será que não entendem que Lula está cada dia mais fraco – psicologicamente e teoricamente – para enfrentar a direita sanguinária?”, escreveu Ciro nas redes sociais, junto a uma foto do ex-presidente.

Ciro fez a acusação sobre uma suposta fragilidade do petista sem qualquer evidência ou prova e rendeu críticas nas redes sociais.

Campanha de Bolsonaro

Os coordenadores da campanha do presidente Jair Bolsonaro comemoraram a atuação de Ciro Gomes, no debate presidencial. A informação é do jornalista Guilherme Amado, do portal Metrópoles.

Nas redes sociais, apoiadores do presidente estão compartilhando o momento em que Ciro disse que Lula, principal adversário de Bolsonaro e líder em todas as pesquisas eleitorais, não tinha condições de ir a Paris porque estava preso no segundo turno da eleição de 2018.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)