Gleisi faz contato com Ciro Nogueira para tratar do processo de transição

Presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann

Por Lisandra Paraguassu

SÃO PAULO (Reuters) - A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, fez nesta segunda-feira o primeiro contato formal da campanha do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva com o atual governo, em um telefonema ao ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira.

De acordo com a assessoria de Gleisi, a deputada fez a ligação telefônica para tratar do início da transição entre os dois governos, e foi "cordial" e "respeitosa".

Nogueira se colocou à disposição para ajudar no processo. Deixou claro, no entanto, que aguarda a orientação do presidente Jair Bolsonaro para definir a equipe que fará a transição por parte do governo federal.

A Casa Civil prepara uma minuta de decreto a respeito da transição, mas precisa da autorização de Bolsonaro para publicação.

O presidente até agora não se manifestou para reconhecer a derrota nas eleições do último domingo ou agradecer os votos recebidos.

Mais cedo, aliados de Bolsonaro chegaram a afirmar que ele iria fazer um pronunciamento nesta segunda, expectativa frustrada ao longo do dia.

Antes das eleições, o presidente fez uma série de ataques sem provas ao sistema eleitoral e chegou a insinuar que poderia não aceitar o resultado das urnas eletrônicas. Após o último debate, contudo, ele chegou a dizer que "quem tiver mais voto leva". Aliados de Bolsonaro já usaram as redes sociais para admitir a vitória de Lula.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, por sua vez, mandou uma mensagem de texto ao vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), parabenizando-o pela eleição.

Alckmin retornou por meio de uma ligação, numa conversa descrita como cordial.

O silêncio de Bolsonaro contrasta com a manifestação de uma série de chefes de Estado, incluindo os presidentes dos Estados Unidos e da China, que reconheceram a legitimidade das eleições e parabenizaram Lula pela vitória.

Ao mesmo tempo, a ausência de uma posição de Bolsonaro tem alimentado o movimento de caminhoneiros, que se proliferou pelo país.