Gleisi Hoffmann visitou Lula na prisão com verba da Câmara

A Câmara bancou as passagens de ida e volta no mesmo dia nas três ocasiões. (Foto: Nelson Almeida/AFP/Getty Images)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • A presidente do PT diz que ‘o Paraná é sua base eleitoral’ e que viagens são normais

  • Petista fez três ‘bate-voltas’ em Curitiba neste ano e pediu reembolso à Câmara

A deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) voou de Brasília (DF) até Curitiba (PR) três vezes, somente em 2019, para visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na carceragem da Superintendência da Polícia Federal. Todas essas visitas foram reembolsadas pela Câmara dos Deputados.

Segundo publicou o jornalista Eduardo Barreto, na coluna de Guilherme Amado na Época, as viagens de Gleisi ocorreram nos dias 18 de abril, 19 de junho e 1º de agosto.

Leia também

A Casa bancou as passagens de ida e volta no mesmo dia nas três ocasiões, bem como custeou a gasolina do carro da deputada durante a estadia na capital paranaense. As notas fiscais apresentadas pelo gabinete de Gleisi Hoffmann para pedir o reembolso somam R$ 7,5 mil.

À coluna, a presidente do PT disse que “o Paraná é sua base eleitoral”, e que "as viagens a Curitiba para agendas públicas e despachos com o escritório local são normais".

Perguntada sobre os gastos de seu gabinete nos dias em que visitou Lula, Gleisi Hoffmann não se pronunciou.