Globo troca presidente e anuncia mudanças na estrutura da empresa

·1 min de leitura
Jorge Nóbrega e Paulo Marinho (Foto: Sergio Zalis/Globo)
Jorge Nóbrega e Paulo Marinho (Foto: Sergio Zalis/Globo)

A dança das cadeiras entre atores e apresentadores não foram as únicas mudanças recentes dentro da Globo. A empresa, que desligou Camila Queiroz na quarta-feira (17), passou por uma reestruturação para o ano de 2022 e apresentou as novidades para a imprensa e seus funcionários nesta quinta (18).

O que muda? Bastante coisa. Conforme adiantado em outubro, Jorge Nóbrega deixará a presidência do Grupo e Paulo Marinho assumirá seu lugar. Com isso, a diretoria de Canais da Globo, ocupada por Paulo Marinho desde 2020, deixará de existir. 

A partir de fevereiro, quem cuidará dos Canais por Assinatura será Erick Bretas, atual diretor de Produtos e Serviços Digitais, que já era responsável pelo Globoplay. Debaixo do "guarda-chuva" dele também ficarão Negócios Internacionais, a Globo Filmes e VIU Hub (social media).

Outro nome destacado na reestruturação é Amauri Soares. Além de cuidar da TV Globo, ele assumirá o comando da rede de afiliadas. 

O comunicado ainda cita Pedro Garcia, diretor de Aquisição e Governança de Direitos. Ele vai incorporar a área de Ciclo de Vida de Conteúdos, responsável pela circulação estratégica dos conteúdos entre as diferentes janelas e plataformas da empresa.

A Globo acredita que essas mudanças vão reforçar "o valor da TV aberta e a consolidação da estratégia de relacionamento direto com o consumidor". Em comunicado interno, os diretores informaram aos funcionários que os ajustes farão a empresa avançar de acordo com as estratégias traçadas para ser mais ágil e eficiente. Vamos conferir o que tudo isso influenciará na prática.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos