Glocal Experience: Rio de Janeiro vai sediar evento sobre 'futuro do planeta'

Glocal Experience: Em 9 dias (de 9 a 17 de julho), a programação do evento na Marina da Glória conta com Arte, Cultura e Gastronomia. (Photo by Buda Mendes/Getty Images)
Glocal Experience: Em 9 dias (de 9 a 17 de julho), a programação do evento na Marina da Glória conta com Arte, Cultura e Gastronomia. (Photo by Buda Mendes/Getty Images)
  • Glocal Experience: Em 9 dias (de 9 a 17 de julho), a programação conta com Arte, Cultura e Gastronomia;

  • Nomes como Mv Bill, Djamila Ribeiro, Regina Casé e o ator Douglas Silva farão parte do evento;

  • Quatro eixos serão centrais nas conversas do Glocal.

Com a meta de ser um "estado exemplo" para o desenvolvimento sustentável, o Rio de Janeiro vai sediar a Glocal Experience, discutindo desenvolvimento sustentável e o futuro do planeta. Em 9 dias (de 9 a 17 de julho), a programação conta com Arte, Cultura e Gastronomia. Nomes como o rapper, escritor e ativista Mv Bill, a filósofa, feminista negra e escritora Djamila Ribeiro, a atriz Regina Casé e o ator Douglas Silva farão parte do evento.

"Os sistemas de ODS [Objetivos do Desenvolvimento Sustentável] são muito presentes e vivos no Rio. Temos total legitimidade para realizar esse evento. O maior desafio é que quando falamos desse tema de forma não tão constante, ele nao engaja. Por isso, a Glocal Experience é um projeto perene, a partir de agosto teremos eventos mensais", explica o diretor-geral do evento, Rodrigo Cordeiro.

2022 é o ano do desenvolvimento sustentável no Rio?

O encontro, que faz parte da Rio2030, fez instalações com 17 objetivos da ONU no estado, tanto na Região Metropolitana quanto na Baixada Fluminense. Em agosto de 2021, foi instituído que 2022 seria o Ano Internacional do Desenvolvimento Sustentável em 2022 no Estado do Rio de Janeiro. Porém, para Henrique Silveira, coordenador geral da Casa Fluminense, o estado enfrenta situações de pobreza que estão distantes de uma meta sustentável.

"A autoridade do desenvolvimento sustentável está voltada para um calendário de eventos de um ano. Ou seja, não é órgão permanente de elaboração e implementação de políticas públicas", defende Silveira.

As ODS, segundo o coordenador da Casa Fluminense, são atualizações dos Objetivos do Milênio que foram definidos há 30 anos atrás, durante a ECO-92, no Rio, e que sempre tiveram a erradicação da extrema pobreza e da fome como principais alvos. Hoje, os ODS 1 e ODS 2 trazem o fim da miséria no mundo e as expressões fome zero e agricultura sustentável como seus ícones, mas o Rio está longe de tal meta.

"Trata-se de um cenário distante do que o Brasil e o Rio de Janeiro estão vivendo, com 33 milhões de brasileiros e 15% dos fluminenses, quase 3 milhões de pessoas, passando fome no estado, de acordo com dados da Ação da Cidadania e Rede Penssan", argumenta o pesquisador.

"Para quem pensa que sustentabilidade só diz respeito ao Meio Ambiente, as metas globais para 2030 começam e terminam falando sobre como todas as pessoas devem viver dignamente em nosso planeta, com prosperidade e parcerias para promoção do bem viver", finaliza Henrique.

Quatro eixos serão centrais nas conversas do Glocal:

Água & Sociedade

Até 2050, estima-se que o consumo de água no mundo aumente 25% ao mesmo tempo em que a ciência alerta para o declínio de chuvas em razão da emergência climática - combinação crítica e que gera estresse hídrico global. No Brasil, regiões como o Nordeste e Sudeste podem registrar batalhas judiciais pelo uso da água para não prejudicar a produção agrícola, o abastecimento à população e o desenvolvimento econômico.

Resíduos & Sociedade

Ao longo de um ano, em média, o brasileiro gera 390 quilos de resíduos sólidos - pouco mais de 1 kg de lixo por dia. O fato preocupante é que uma considerável parte deste montante é lançada indevidamente em lixões ou ainda em rios e no Oceano, aumentando a degradação ambiental e a emissão de gases de efeito estufa, como o metano. Um maior uso de tecnologias, investimentos e a expansão da educação ambiental para a população podem contribuir positivamente para uma economia de baixo carbono, além de resultar numa economia circular eficaz, que focada na redução de consumo, e não só na logística reversa.

Energia & Sociedade

Pela primeira vez desde o início das negociações climáticas, na década 1990, os países aceitaram formalmente que é preciso deixar de usar combustíveis fósseis para frear o aquecimento global em 2ºC até 2100. Um avanço e tanto - mas ainda no papel. Como é possível descarbonizar o setor energético a partir de agora, e que atores precisam ser protagonistas nesta virada em benefício da humanidade?

Clima & Sociedade

É chegado o momento de ir além dos compromissos assumidos e colocar em prática ações para um desenvolvimento positivo, que reduza fatores e pressões que degradam a natureza, que diminua a desigualdade.

Conferência conta com ativistas internacionais e debate o Clima

Dentro da Experience, a Rio 2030, evento realizado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro e parceria com a Dream Factory, também realiza a Glocal Conference. A Conferência acontece entre os dias 13 e 16 de julho, com Adam Kahane, reconhecido como um dos principais líderes contemporâneos de conflitos de processos de paz e união entre nações e povos, no painel de abertura. Junto a ele estará Ilona Szabó, cientista social brasileira e empreendedora cívica, fundadora do Instituto Igarapé, em 2011, e integrante do Conselho Consultivo de Alto Nível do Secretário-Geral da ONU sobre multilateralismo eficiente.

A Conferência terá participação de representantes do governo, iniciativa privada, instituições, Academia e líderes da sociedade. Estão confirmadas as presenças do governador do estado do Rio de Janeiro, Claudio Castro, e do prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Um dos painéis terá a participação de Shuo Chen, sócia da IOVC, um fundo de capital de risco, com sede no Vale do Silício, que já investiu em mais de 60 startups, com foco no futuro do trabalho e empresas/SaaS. Ela atua como um dos 13 membros votantes da Comissão de Saúde Mental da Califórnia e atuou como Presidente do Conselho da Decode, uma comunidade de inovação coorganizada com a UC Berkeley e Stanford.

O encerramento da Conferência, em 16 de junho, será com John Elkington​. Referência no segmento de sustentabilidade empresarial, sua consultoria SustainAbility orienta empresas como Hewlett Packard e Microsoft a produzir com responsabilidade socioambiental. Elkington também foi o primeiro a indicar como consumidores devem escolher produtos de empresas ecologicamente conscientes, ajudando a formar um mercado consumidor mais exigente em relação às questões ambientais.

Confira abaixo a programação/ conversas do Glocal Experience:

11/07 – 15h - "Música, Potência da Periferia" com Mcs Marechal e Santi Mediação: Diana Bouth

12/07 – 15h - "Água, futuro líquido" com Projeto Marulho e Letícia Nunes Mediação: Raull Santiago

13/07 – 15h - "Arte no Combate ao Racismo" com FAIM Festival e Karina Vieira Mediação: Douglas Silva

14/07 – 15h - "Outras Imagens da Cidade" com Rafaela Pinah e agência SILVA Mediação: MV Bill

14/07 – 16h15 - "Nova geração na linha de frente do combate à crise climática" com Amanda Costa, Txai Suruí, Danilo Farias, João Henrique e Ana Lucia Azevedo

15/07 – 15h - "Clima e Sociedade: o grito das juventudes" com Marcelo Rocha e Isvilaine Conceição Mediação: Leandra Leal

16/07 – 15h - "A importância das mulheres no avanço das ODS" com Djamila Ribeiro e Carla Akotirene

17/07 – 15h -" Lideranças Femininas" com Sil Bahia, Pamela Carvalho e Kaê Guajajara

17/07 – 16h15 - "ODS da ONU e o porquê precisamos falar sobre isso" com Denise Hills, Carlo Pereira e Raull Santiago Mediação: Regina Casé

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos