Gol e Tam pagaram R$ 3 milhões a empresa de fachada ligada a ex-vice do DF após obter benefício fiscal

Aguirre Talento
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - A investigação do Ministério Público do Distrito Federal e Território (MPDFT) que envolve o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB-RJ), e o ex-vice-governador do DF, Tadeu Felipe (MDB), indica que Gol e antiga Tam (rebatizada como Latam após fusão com outra empresa) fizeram pagamento de R$ 3,4 milhões a uma empresa de fachada usada por um operador financeiro de Felipe após obter benefícios fiscais.

A Operação Antonov foi deflagrada na última quarta-feira e cumpriu busca e apreensão contra a Tam e outros investigados --a Gol não foi alvo porque assinou acordo de leniência e colabora com as investigações.