Gol prevê demissão de 37 funcionários não vacinados até o fim de 2021

·1 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 18.10.2011 - Vista de aeronave da companhia aérea Gol no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 18.10.2011 - Vista de aeronave da companhia aérea Gol no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Gol calculou o número de funcionários que serão demitidos porque se recusam a tomar a vacina da Covid. Serão 37 entre novembro e dezembro. Segundo a companhia, mais de 99% de seus 15 mil funcionários estão com a imunização completa.

Em nota divulgada na última sexta (19), a Gol anunciou o início dos desligamentos e disse que a medida está alinhada ao compromisso da empresa com a saúde pública e a proteção da população.

A Latam vai exigir comprovante de vacina a partir de 31 de dezembro. Quem não se encaixar nas novas regras, também será demitido.

A companhia afirma que está fazendo campanhas internas para estimular a vacinação e que todos os funcionários estão cientes da exigência para manter vínculo com a empresa em 2022.

Já a Azul não pretende demitir funcionários sem vacina por enquanto. A companhia afirma que tem trabalhado na conscientização e imunização de seus tripulantes, e que mais de 90% do quadro está imunizado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos