Goleiro da base do Fluminense comemora uma década no Fluminense com 13 títulos conquistados

Extra
·3 minuto de leitura

Reconhecido internacionalmente como uma das melhores categorias de base do Brasil e do mundo, o Fluminense segue dando destaque às jovens promessas do futebol nacional. Aos 17 anos, o goleiro Álvaro Nobrega, nascido em Barra Mansa – cidade do interior do Rio de Janeiro, comemora uma década defendendo o tricolor carioca, relembrando títulos inesquecíveis e conquistas históricas: nos últimos dez anos, foram 13 troféus levantados com a presença do jovem arqueiro, em torneios de futsal e futebol de campo.

Álvaro chegou ao Fluminense em 2012, após chamar atenção de olheiros durante uma competição pelo clube que treinava em sua cidade natal. Dez anos depois, o goleiro relembra o início no futsal e o processo de transição para o campo.

“Comecei a jogar futebol de campo aos 10 anos e passei três anos conciliando com o futsal. Há muita diferença no estilo de jogo, tinham jogos no campo que eu não encostava na bola, ao contrário do futsal que eu participava ativamente do jogo. No início também tomava muitos gols que hoje considero bobos, pelo tamanho maior das traves no campo, mas os fundamentos eram os mesmos do futsal e, com o passar do tempo, fui me adaptando e agora estou colhendo os frutos”, contou.

Dentre os principais títulos conquistados, Álvaro cita com orgulho a conquista da Copa Nike de 2019 pelo sub-15 do Fluminense, realizada em São Paulo no CT do Corinthians, reunindo as principais equipes do país. No trajeto até a conquista do troféu, Álvaro brilhou e defendeu pênaltis nas quartas de final diante do Atlético-MG, e nas semifinais contra o Internacional.

“Estávamos bastante focados no campeonato, era o maior objetivo daquele ano pela magnitude que a competição representa para o futebol brasileiro sub-15. Felizmente pude contribuir bastante para o meu time fazendo bons jogos e defendendo pênaltis decisivos. Foi uma conquista que ficará guardada para sempre comigo”, mencionou o jovem goleiro.

Além dos 13 títulos, Álvaro já representou o Fluminense em competições da Itália e no Paraguai. Em 2020, a equipe voltaria à Europa, mas a viagem foi cancelada devido à pandemia da covid-19. “Nós não paramos de treinar durante a pandemia, os goleiros treinavam todo dia on-line, além de reuniões e atividades com o departamento de psicologia do clube. Em agosto, voltamos a treinar com o sub-20, com todos os protocolos e orientações do departamento médico do clube para evitar a disseminação do vírus. Sempre tive uma rotina muito corrida e bem estabelecida, então voltar a treinar foi muito bom”, comentou.

Agora, o sub-17 se prepara para o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, com a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) ainda sem definir a realização ou não do Campeonato Carioca da categoria. Novas chances de troféus para o goleiro barra-mansense, desejando que a próxima década no Flu seja ainda mais vitoriosa que a primeira. “Nós sempre sonhamos com continuidade, com títulos, mas nada vem por acaso e a última década foi consequência de muito esforço e trabalho. Espero defender as cores do Fluminense por muito mais tempo”, finalizou Álvaro.