Goleiro do Santos critica ausência de jogadores no velório de Pelé

João Paulo, goleiro do Santos, acompanhou o cortejo pelas ruas da cidade.
João Paulo, goleiro do Santos, acompanhou o cortejo pelas ruas da cidade. Foto: (REUTERS/Alexandre Loureiro)

Grande defensor da meta do Santos, o goleiro João Paulo não poupou críticas a outros jogadores de futebol que não se dirigiram à cidade praiana para acompanhar o velório de o cortejo do caixão de Pelé da Vila Belmiro até o cemitério Memorial, onde o Rei do Futebol irá descansar.

Em entrevista ao SporTV, João Paulo disse que não pôde estar no velório por problemas na estrada, mas fez questão de estar no cortejo: "É o mínimo que a gente pode fazer. É o maior jogador de todos os tempos, um ídolo do clube. Assim como eu, ele fez muitos torcedores virarem santistas. Infelizmente tive um problema na estrada e acabei chegando um pouco tarde. Mas deu tempo de vir prestar minha homenagem. Acho que sim [faltou a presença]. É o maior jogador do planeta e de todos os tempos. Ninguém vai chegar aos pés dele. Pela representatividade que ele tem no mundo do futebol e esportivo, acho que as pessoas deveriam olhar um pouco mais para o lado dele".

Leia também:

O velório de Pelé, que durou 24 horas, não contou com a presença de nenhum pentacampeão mundial em 2002 e apenas um dos membros do tetra, em 1994, Mauro Silva, que também é dirigente da Federação Paulista de Futebol.

Outra personalidade que criticou as ausências foi Neto, ex-jogador de futebol e apresentador da Band. Em entrevista ao UOL Esporte, desabafou: "Será que eles são importantes? Temos que imaginar quem são as pessoas importantes da sua vida, da nossa vida. Talvez as pessoas só vão onde ganham cachê. Eu respeito as pessoas, só acho que as pessoas têm que saber quem foi o Pelé. São campeões do mundo e não vieram ver o Pelé? No mínimo, é falta de respeito. Entendam como quiser. Uma pessoa não tem razão sozinha, temos que rezar o que tem que rezar. E aos que não vieram: não adianta falar depois".