Goleiro substituído do Irã já viveu chacota e redenção envolvendo Cristiano Ronaldo; entenda

A estreia na Copa do Mundo de 2022 acabou durando poucos minutos para Alireza Beiranvand, goleiro do Irã, que foi substituído logo no início do primeiro tempo contra a Inglaterra após um choque de cabeça. Já o Mundial de 2018, na Rússia, ficou marcado de forma duradoura na carreira do atleta, hoje com 30 anos - numa história contada pelo guia interativo da Copa do Mundo, lançado pelo GLOBO em parceria conduzida pelo jornal inglês The Guardian com jornalistas de mais de 30 países.

Guia interativo da Copa do Mundo: Saiba tudo sobre os 831 jogadores do Mundial do Catar

Tempo real: Acompanhe a cobertura completa do GLOBO na Copa do Catar

Titular do Persépolis, um dos principais times da capital iraniana Teerã, Beiranvand virou motivo de chacota às vésperas da última Copa por fazer um vídeo infame dirigido a Cristiano Ronaldo, astro da seleção de Portugal - adversária do Irã no Grupo B daquele Mundial. No vídeo em questão, Beiranvand imitava o diálogo de uma série iraniana, dizendo "Como vai, Cris?", em um recado ao craque português.

Martín Fernandez: Catar mostrou que dinheiro não compra uma seleção

Rodrigo Capelo: Dinheiro, princípios e hipocrisias

Marcelo Barreto: A Copa do choque cultural

De combustível para chacota, Cristiano Ronaldo acabou auxiliando indiretamente também na redenção de Beiranvand. Na terceira partida da fase de grupos, entre Irã e Portugal, CR7 teve um pênalti que poderia ter ampliado a vantagem dos portugueses, mas que acabou defendido por Beiranvand. O Irã acabou buscando o empate nos acréscimos do segundo tempo, e a partida terminou empatada em 1 a 1 - resultado que não impediu a eliminação dos iranianos, mas que serviu para o goleiro calar seus críticos.

Beiranvand, agora notabilizado pelo nariz sangrando contra a Inglaterra após o choque com um colega de sua própria seleção, também já teve fama de quebrador de recordes. "Beyro", como o goleiro é conhecido, foi reconhecido no ano passado pelo Guinness Book como autor do tiro de meta mais longo em uma partida oficial.

O feito foi alcançado numa partida em 2016 contra a Coreia do Sul, quando o goleiro iraniano chutou a bola a cerca de 61 metros de distância.