Golpe milionário na mãe: 'Mata essa velha!', teria dito namorada da filha

Entre itens roubados no golpe que Sabine aplicou na mãe está uma obra de Tarsila do Amaral, Sol Poente, avaliada em R$ 250 milhões. (Foto: Reprodução)
Entre itens roubados no golpe que Sabine aplicou na mãe está uma obra de Tarsila do Amaral, Sol Poente, avaliada em R$ 250 milhões. (Foto: Reprodução)
  • Namorada se passou por vidente para vender trabalhos espirituais à idosa

  • Golpe total foi de R$ 725 milhões

  • Filha fez mãe passar por 'vários tipos de violência', diz delegado

Uma das comparsas de Sabine Boghici, que aplicou um golpe de R$ 725 milhões em sua mãe, chegou a pedir que a filha matasse a mãe. Rosa Stanesco Nicolau, que usava o nome “Mãe Valéria de Oxóssi”, é namorada de Sabine, com quem foi presa na última quarta-feira (10).

Segundo o delegado Gilberto Ribeiro, titular da Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa da Terceira Idade, Rosa teria mandado a Sabine: “Mata essa velha!”. A ordem teria sido dada em mais de uma ocasião, incluindo uma vez em que a filha segurava uma faca contra o pescoço da mãe.

“Em ligação de áudio, Valéria de Oxóssi mandava [Sabine] matar a mãe, dizendo que ia ficar com tudo, e que aquilo tudo ia ser delas”, contou o delegado no programa Encontro, da TV Globo. “[A idosa] sofreu vários tipos de violência”, completou.

A vítima, Geneviève Bogchi, é viúva de um grande colecionador de arte. Ela foi coagida pela filha e seus comparsas a entregar 16 quadros, que valem, juntos, mais de R$ 700 milhões. Além disso, os ajudantes se passaram por videntes para venderem falsos trabalhos espirituais.

A defesa alega que Sabine tem direito a 25% da fortuna do pai e que será provado que “Sabine recebeu as obras pacificamente da mãe”.

A atriz Sabine Boghici liderou o esquema que roubou 16 obras de artes da própria mãe, manteve a vítima em cárcere privado e a extorquiu durante cerca de um ano.

A suspeita sofre de depressão, ansiedade e crise do pânico desde a adolescência. Ela é filha do romeno Jean Boghici, colecionador de arte que chegou ao Brasil em 1948 e morreu em 2015, aos 87 anos.

Como foi o golpe?

Para conseguir extorquir dinheiro da mãe, a filha contratou pessoas para se passarem por videntes e venderem trabalhos espirituais à idosa.

Segundo a Polícia Civil, a filha elaborou o plano no começo de 2020. A primeira etapa foi contratar uma mulher que deveria abordar a vítima na rua para lhe dizer que a morte de sua filha estava próxima.

Ela teria alegado ser vidente para levar a idosa para outras duas pessoas, que se passariam por uma cartomante e uma mãe de santo. As comparsas, então, iriam sugerir o pagamento de um trabalho para salvar a filha. Em um intervalo de 15 dias, a idosa transferiu R$ 5 milhões aos golpistas.

Outros crimes

Com o tempo, a filha começou a isolar a idosa dentro da própria casa. Ela chegou a dispensar funcionários.

Pouco depois, a mãe começou a perceber a relação que a filha tinha com os supostos videntes, e parou de fazer as transferências. Foi quando a mulher passou a ameaçar a idosa, que percebeu que se tratava de um plano.

A vítima foi colocada em cárcere privado de janeiro de 2021 a abril de 2022, sem contato com parentes e amigos nem por telefone.

Os presos

Além de Sabine, a polícia prendeu Rosa Stanesco Nicolau, que se passava por "Mãe Valéria de Oxossi" e dizia ter poderes místicos, o filho dela, Nicolau Traslaviña Hafliger, e uma outra mulher, identificada como Jacqueline Stanescos.

Os foragidos

Além dos detidos, a Justiça expediu mandado de prisão de duas pessoas envolvidas no esquema: Diana Rosa Aparecida Stanesco Vuletic e Slavko Vuletic. Ambos, porém, conseguiram escapar e seguem foragidos.