Golpe na USP: Polícia pede quebra do sigilo bancário de suspeita de desvio milionário

Pedido é referente a calote dado pela jovem de 25 anos em lotérica de São Paulo

Aluna de Medicina da USP deu golpe de quase R$ 1 milhão em colegas e é investigada pela polícia - Foto: Lattes/Reprodução
Aluna de Medicina da USP deu golpe de quase R$ 1 milhão em colegas e é investigada pela polícia - Foto: Lattes/Reprodução
  • Aluna que deu golpe em colegas é investigada pela polícia

  • DEIC pediu quebra do sigilo bancário da jovem de 25 anos

  • Pedido, porém, é referente a outra investigação, de suposto calote em lotérica

A Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) de São Bernardo do Campo, em São Paulo, pediu nesta terça-feira (17) a quebra do sigilo bancário da aluna que praticou um golpe em seus colegas do curso de Medicina da USP.

Alicia Dudy Muller, de 25 anos, é acusada de desviar R$ 927 mil que haviam sido acumulados pelos alunos da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) para bancar a formatura do curso.

O pedido da quebra do sigilo, no entanto, foi feito no âmbito de outra investigação. De acordo com informações do jornal O Globo, a polícia investiga crimes de estelionato e lavagem de dinheiro praticados pela jovem em uma lotérica na Vila Mariana, na capital paulista.

Alicia teria feito apostas altas diariamente, utilizando transferências por PIX, mas, em julho de 2022, deixou de pagar parte do valor previsto, deixando prejuízo de R$ 192.908,47 aos proprietários.

Entenda os casos:

Golpe em colegas

Presidente da comissão de formatura, a jovem foi denunciada na última terça-feira, depois que a Associação de Formatura da 106ª Turma do Curso de Medicina da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) constatou que ela havia tirado os R$ 927 mil acumulados pelos colegas.

Alicia transferiu para a conta pessoal toda a quantia, que havia sido depositada para a empresa Ás Formaturas, responsável por organizar a cerimônia.

A jovem garantiu que, posteriormente, transferiu a verba para uma investidora, mas não há comprovação desta transação. A aluna afirmou, ainda, que foi vítima de um golpe desta tal empresa, que teria sumido com a quantia.

No total, 110 pessoas foram lesadas com o golpe aplicado pela estudante. Em mensagem a um grupo da comissão de formatura, a jovem pediu desculpas pelo ocorrido, se explicou e disse estar sentindo "toda dor, culpa e arrependimento que vocês podem imaginar".

Calote em lotérica

Alicia já era investigada por estelionato e lavagem de dinheiro após um calote dado em uma casa lotérica no bairro de Vila Mariana, também em São Paulo. Na ocasião, ela deu prejuízo de R$ 192,9 mil aos proprietários.

Em abril de 2022, a jovem procurou a tal casa e realizou apostas no valor de quase R$ 20 mil, todas pagas via PIX. Daí em diante, ela passou a fazer várias apostas de alto valor, com custo total de R$ 461 mil. Três meses depois, Alicia foi novamente ao local e solicitou R$ 891,5 mil em apostas. Questionada sobre o pagamento, ela afirmou que fez um agendamento.

Após insistência da funcionária, a estudante realizou transferência de R$ 891,53, na tentativa de enganá-la. Uma discussão teve início, e Alicia fugiu do local com cinco apostas de R$ 38,7 mil cada, totalizando R$ 193,8 mil.