Gonzalo Vecina, ex-presidente da Anvisa, critica em vídeo intimidação de Bolsonaro a técnicos da agência

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Jair Bolsonaro
    38.º presidente do Brasil

SÃO PAULO — Em vídeo publicado em uma rede social nesta sexta-feira, o médico sanitarista Gonzalo Vecina, ex-diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro de intimidação aos técnicos da agência. Ele ainda parabenizou e defendeu o trabalho da agência.

— Me falta o chão para dizer o que penso sobre isso, mas é inacreditável que uma autoridade pública esteja direcionando a vontade da populaçãoo contra servidores que estão cumprindo seu papel de maneira irrepreensível — diz Vecina em vídeo publicado no Instagram.

O ex-presidente da Anvisa se refere à declaração feita pelo presidente Jair Bolsonaro em live transmitda nas redes sociais na quinta-feira, quando disse que iria divulgar os nomes dos integrantes da Anvisa que aprovaram a utilização da vacina da Pfizer para crianças com idade entre 5 e 11 anos. Bolsonaro disse ainda que a vacina é "experimental" e citou uma recomendação da agência para os pais procurarem um médico caso o filho apresente algum efeito colateral após a injeção.

Para Vecina, a Anvisa é fundamental para a saúde do povo brasileiro. O médico ainda alerta que agência está sob risco e chama a população para protegê-la.

— Parabéns à Anvisa e vamos proteger a Anvisa porque neste momento está sob risco — afirma o ex-presidente da agência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos