Gordofobia: Instagram muda regras sobre exibição de seios após protesto

Constança Tatsch
·2 minuto de leitura

RIO — O Instagram vai mudar a partir dessa quarta-feira (28) sua política sobre exibição parcial de seios depois que uma influenciadora digital plus size do Reino Unido iniciou uma campanha dizendo que suas fotos eram derrubadas, enquanto o mesmo não ocorria com imagens semelhantes de mulheres magras.

Em julho, a modelo Nyome Nicholas-Williams postou uma foto sua, feita pela fotógrafa Alexandra Cameron, em que aparecia segurando e cobrindo parcialmente os seios, numa pose comum em fotos artísticas femininas. Mas a imagem foi removida pela rede social pois iria contra suas regras de nudez e pornografia.

“Milhões de fotos de mulheres brancas e magras nuas podem ser encontradas no Instagram todos os dias, mas uma negra gorda celebrando seu corpo está proibida? Foi chocante para mim. Eu sinto que estou sendo silenciada”, reagiu Williams.

Foi o início da campanha #iwanttoseenyome, que acabou levando a rede a rever as políticas. Um abaixo assinado on-line chamado “Instagram pare de censurar mulheres negras gordas” reuniu mais de 22 mil assinaturas. Nesta segunda-feira (26), a decisão está sendo celebrada por pessoas plus size e de movimentos body positive (que buscam aceitação de corpos considerados fora do padrão).

“No dia 28 de outubro vai haver uma mudança nas políticas oficiais que deve ajudar diretamente para que imagens de mulheres plus size deixem de ser removidas por serem consideradas inapropriadas ou de conteúdo sexual”, afirmou a fotógrafa Cameron em sua conta. “Tem sido maravilhoso ver as fotos que eu fiz serem reintegradas, imagens das quais tenho tanto orgulho e que representam um grupo de pessoas que frequentemente é silenciado ou censurado.”

O Instagram afirma que o caso da influenciadora realmente serviu como incentivo para revisão de suas políticas sobre imagens que mostrem, ainda que parcialmente, os seios. O problema estava em diferenciar imagens em que os seios eram cobertos ou segurados pelas mãos de ações como apertar ou puxar, relacionadas à pornografia.

Agora, a orientação para avaliação de conteúdo, tanto da tecnologia quanto para a revisão humana, é manter fotos em que a mulher esteja abraçando, segurando, acariciando ou cobrindo os seios. Para estabelecer o limite, por exemplo, os dedos das mãos não devem estar dobrados (o que relacionaria ao ato de agarrar). Quando houver dúvida, o conteúdo deve ser mantido.

"O Instagram está atualizando as políticas para evitar que imagens de corpos gordos e maiores sejam removidas erroneamente, com a ajuda de diversos especialistas e criadores da comunidade de Body Positive ao redor do mundo. Imagens ou vídeos de seios sendo apertados não são permitidos no Instagram, pois isso costuma ser comumente associado a conteúdo pornográfico. Sabemos, no entanto, que a aplicação desta política específica pode levar a erros, especialmente com relação à comunidade de Body Positive e corpos gordos e maiores", afirmou a rede.

O Instagram nega que a questão seja racial. Segundo a comunicação, o problema estava apenas relacionado a mulheres plus size, em que apareceria mais pele na imagem.