Gordura abdominal: Melhores alimentos para eliminar gordura que traz risco à saúde

Luiza Belloni

Pochete, pneuzinho, barriga de chope ou gordura abdominal. Chame a famosa gordurinha localizada na barriga como quiser. O problema é mesmo como acabar com ela. 

Além da questão estética, a gordura abdominal pode representar risco à saúde.

Existem dois tipos de gordura no nosso abdômen: a subcutânea, que é menos perigosa e mais superficial, e a visceral, que fica entre os órgãos como pâncreas e fígado e é associada ao risco de diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares e metabólicas e até câncer

Segundo o HCor, Hospital do Coração, a gordura abdominal que pode comprometer a saúde é quando a medida da cintura ultrapassa os 88 cm em mulheres e 102 cm nos homens. 

Então, como se livrar delas?

A subcutânea, aquela que podemos “pegar com as mãos” é mais difícil de perder. Mas a visceral é a primeira a começar a desaparecer assim que você cuida da alimentação e faz exercícios regulares. 

Claro que gordura abdominal aumenta e diminui de acordo com o quanto você come, mas priorizar proteínas saudáveis pode ajudar na perda de peso, e consequentemente, na perda da gordura visceral. 

Não a toa que as dietas da moda priorizam proteínas e gorduras “boas”, como é o caso da dieta cetogênica, que reduz drasticamente o consumo de carboidratos e faz com que o corpo perca sua principal fonte de energia.

“Normalmente o corpo utiliza como sua fonte de energia a glucose (uma forma de açúcar) obtida dos carboidratos”, explicou a Epilepsy Society. “Quando o corpo usa a gordura para obter energia, são produzidos compostos chamados cetonas – esse processo é conhecido como cetose. Com a dieta cetogênica, o corpo utiliza principalmente cetonas, em vez de glucose, como sua fonte de energia.”

Porém, a dieta cetogênica não é aconselhada para todo mundo. Muitas pessoas começam a seguir a dieta sem acompanhamento de um profissional de saúde e acaba reduzindo drasticamente as fibras, nutriente fundamental para o corpo e...

Continue a ler no HuffPost