Governador da Califórnia ordena "fechamento total" de praias cheias durante a pandemia

Muitos californianos acabaram com o confinamiento e foram à praia no último final de semana

O governador da Califórnia (EUA ocidental), Gavin Newsom, ordenou nesta quinta-feira (30) o "fechamento total" das praias de um município que ainda estava aberto, que no último final de semana estava lotado de pessoas apesar da ordem de confinamento.

"Vamos fazer o fechamento total dessa parte do estado, apenas em Orange County", disse Newsom a repórteres.

Esse condado decidiu manter suas praias abertas mesmo em meio à pandemia, apenas solicitando aos usuários que respeitassem o distanciamento social.

Mas como estão localizadas entre Los Angeles e San Diego, que fecharam suas praias para evitar grandes multidões, dezenas de milhares de pessoas foram até elas no último fim de semana, em meio a altas temperaturas.

E "os alarmes dispararam", disse o governador. "Pessoas que não estavam praticando distanciamento físico, puderam retornar aos seus locais fora de Orange County sem nem mesmo saber se pegaram ou não a doença e colocaram outras pessoas em perigo".

"Vamos fazer uma pausa temporária nessas praias, estaduais e locais", reiterou.

"Poderemos reabrir rápido em seguida, mas temos que garantir que estamos indo bem. Por que arriscar o grande progresso alcançado?", ressaltou.

Um dos supervisores do condado, Don Wagner, disse que a medida foi uma "reação exagerada", que "colocará em risco as atitudes de cooperação e os esforços coletivos no combate à doença".

"Os médicos nos alertam sobre a importância do ar fresco e da luz solar na luta contra doenças infecciosas, incluindo benefícios para a saúde mental", escreveu.

Ao contrário de outros estados dos Estados Unidos, a Califórnia rapidamente implementou medidas de contenção generalizadas, que ajudaram a impedir a disseminação do coronavírus e do superlotação hospitalar, pontos essenciais para evitar muitas mortes, segundo especialistas.

Até o momento, o estado registra quase 49.000 casos de COVID-19 e 1.982 mortes, 95 somente nas últimas 24 horas, disse Newsom.

No entanto, o número é relativamente pequeno para o estado, o mais populoso dos Estados Unidos e um dos primeiros a ser atingido pela crise na saúde causada pelo coronavírus.