Governador do Ceará diz que não se encontrará com Bolsonaro para evitar aglomeração

MÔNICA BERGAMO
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), afirmou que não participará de agendas com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no estado nesta sexta-feira (26) para evitar aglomerações, "algo frontalmente contrário à gravíssima crise sanitária que vivemos neste momento". Santana publicou texto em suas redes sociais justificando a decisão. "Tenho todo respeito à autoridade, mas não posso compactuar com aquilo que considero um grave equívoco", escreveu na noite desta quinta (25). "Sobre a vinda do Presidente da República ao Ceará, amanhã, para a assinatura de ordens de serviço e visitas a obras, conforme a imprensa tem noticiado, não estarei presente a qualquer desses eventos, diante da real possibilidade de muitas aglomerações, algo frontalmente contrário à gravíssima crise sanitária que vivemos neste momento, com o aumento preocupante de casos e óbitos. Tenho todo respeito à autoridade, mas não posso compactuar com aquilo que considero um grave equívoco", disse Santana. Na semana passada, o governador anunciou o endurecimento das medidas restritivas para conter a disseminação do coronavírus no estado. Santana disse que as medidas restritivas são necessárias para conter a curva de contaminação do coronavírus, que está mais uma vez ascendente no estado.