Governador da Flórida encerra "reinado corporativo" de regras especiais para o Walt Disney World

Fotógrafa do Walt Disney World segura um recorte do Mickey Mouse com as cores do arco-íris antes do desfile "Festival de Fantasia" no parque temático Walt Disney World Magic Kingdom, em Orlando

Por Dawn Chmielewski e Helen Coster

(Reuters) - O governador da Flórida, Ron DeSantis, sancionou nesta segunda-feira um projeto de lei que assume o controle de um distrito fiscal especial em torno do complexo de parques e hotéis Walt Disney World, que por meio século permitiu que a Walt Disney Co operasse no local com alto grau de autonomia.

“O reino corporativo finalmente chega ao fim”, disse DeSantis durante um evento para a imprensa em Lake Buena Vista, perto de Orlando.

No ano passado, os republicanos no Estado atacaram a Disney depois que ela entrou em conflito publicamente com DeSantis, que é considerado como um potencial candidato à Presidência em 2024, sobre uma lei que restringe o ensino de gênero e orientação sexual em sala de aula, conhecida por seus oponentes como a medida "Don't Say Gay", ou "Não diga gay".

Em março, o então presidente-executivo da Disney, Bob Chapek, expressou publicamente desapontamento com o projeto de lei que limita a discussão LGBTQ nas escolas, dizendo que ligou para DeSantis para expressar preocupação com a legislação se tornando lei.

Em uma medida que observadores políticos consideraram uma retaliação pela visão da Disney sobre a medida “Don't Say Gay”, os parlamentares estaduais da Flórida aprovaram este mês um projeto de lei, que DeSantis sancionou, que autoriza o governador a nomear cinco supervisores para os serviços municipais tradicionais, como proteção contra incêndio, serviços públicos e coleta de lixo na região onde a Disney World opera. A entidade quase-governamental também tem autoridade para arrecadar receitas para pagar dívidas pendentes e cobrir o custo dos serviços.

"Temos uma situação aqui que é basicamente indefensável do ponto de vista político", disse DeSantis. "Como você dá a um parque temático seu próprio governo e depois trata todos os outros parques temáticos de maneira diferente? Acreditamos que essa não foi uma boa política."

Um porta-voz da Disney não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

A cerimônia de sanção da lei contou com o pronunciamento de um pai que criticou a Disney por se manifestar contra o projeto de lei de educação do Estado, dizendo que a empresa "escolheu o lado errado do argumento moral". Outra pessoa, que se identificou como funcionário de longa data do parque temático da Disney, questionou as políticas da empresa em relação às vacinas.

O Disney World é o maior empregador da região central da Flórida, com cerca de 75.000 funcionários, e atraiu 36,2 milhões de visitantes em 2021, de acordo com a Themed Entertainment Association.

(Reportagem de Dawn Chmielewski em Los Angeles e Helen Coster em Nova York)