Governador do PI evita comentar aceno de Bolsonaro ao Nordeste

DANIEL CARVALHO

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Governador reeleito do Piauí, Wellington Dias (PT) se recusou a comentar nesta quinta-feira (11) o aceno feito por Jair Bolsonaro (PSL) ao Nordeste, no dia anterior, quando prometeu uma 13ª parcela do Bolsa Família.

Dias acompanha Haddad em uma visita à CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil), em Brasília, nesta manhã.

O governador confirmou o encontro de Haddad com o presidente do PSB, Carlos Siqueira, na quarta-feira (10), conforme a Folha de S.Paulo revelou. Siqueira havia negado a reunião.

"O PSB é um partido que, já no primeiro turno, parte considerável de seus líderes estavam na campanha. Manifestamos interesse de caminhar para frente junto com os líderes e o programa defendido também pelo PSB", afirmou Dias.

O governador do Piauí disse que o PDT, que declarou "apoio crítico", também será procurado. Ciro Gomes, que disputou a Presidência pelo PDT no primeiro turno, no entanto, já saiu de Brasília e viajará para a Europa.

Questionado sobre a primeira pesquisa Datafolha do segundo turno, divulgada na quarta, Dias foi na linha do que Haddad havia dito.

"Avaliamos que a eleição, embora seja bem curta, começou o segundo turno agora", disse o governador.

Jair Bolsonaro obteve 58% dos votos válidos, enquanto o ex-prefeito paulistano chegou a 42%.