Governador promete tarifa social ferroviária para manter passagem de trem em R$ 5 até fim do ano

O governador Cláudio Castro prometeu, nesta sexta-feira, implementar, via decreto, a Tarifa Social ferroviária, ainda em janeiro para manter o valor da passagem dos trens em R$ 5 durante o ano de 2023. A medida valerá para todos os passageiros habilitados no Bilhete Único Intermunicipal, a exemplo do que já ocorre no transporte aquaviário.

Tarifas mais altas: ônibus, VLT e táxi têm reajuste na passagem; confira

Valor homologado: Agetransp autoriza reajuste de tarifa de trens no Rio

O reajuste anual de tarifa do serviço de transporte ferroviário, aprovado pelo Conselho Diretor da Agetransp em sessão realizada no último dia 20, autorizou o aumento da passagem cobrada pela SuperVia de R$ 7 para R$ 7,40, homologado nesta quinta-feira. Com a medida, o governo do estado vai subsidiar a diferença de R$ 2,40 para que o valor da passagem permaneça em R$ 5.

— A maior parte dos usuários dos trens não tem condições financeiras de arcar com o reajuste, mesmo que previsto anualmente. O governo do estado honra os contratos, mas também zela pela população e, por isso, vou implementar a Tarifa Social como proteção social aos que mais precisam do transporte público — disse Castro.

Tempo: Sexta-feira será de chuva ao longo do dia, prevê Alerta Rio; cidade segue em estágio de mobilização

Mais cedo, Castro havia recorrido às redes sociais para garantir que a passagem dos trens permaneceria em R$ 5. " O povo do Rio não tem condições de arcar com novo aumento, mesmo que previsto anualmente", postou.

Segundo ao governo, a implementação da Tarifa Social já estava prevista no Regime de Recuperação Fiscal e na Lei Orçamentária de 2022, como política pública de redução do impacto do aumento tarifário à população. O reajuste passará a valer a partir de fevereiro.

Prévia do carnaval: Mais de 30 blocos tomarão as ruas neste domingo, na tradicional abertura do carnaval não oficial; confira a lista

A tarifa de R$ 5 é cobrada desde 22 de fevereiro de 2021 após acordo entre o governo do estado e a SuperVia. Na ocasião, o valor homologado tinha sido de R$ 7. Este não é o único aumento enfrentado pelos cariocas neste início de ano.

Em nota divulgada à imprensa, a Agetransp afirmou que recomendou ao Governo do Estado e à SuperVia que formalizassem com urgência um novo termo aditivo para a definição da nova tarifa para que o novo reajuste causasse o menor impacto possível entre os usúarios, tendo em vista a atual discrepância entre o valor cobrado atualmente e o aprovado.

Vírus do tipo 2: Avanço da dengue no Rio preocupa autoridades

Além de aprovar a nova tarifa, o Conselho Diretor da Agetransp também decidiu multar a SuperVia no valor de R$ 147.034,96, referente à falta de conservação da ponte ferroviária localizada sobre o rio Ribeirão das Moças, próximo à estação de Vila Inhomirim. Segundo o órgão, há dois anos que a falta de manutenção impede o funcionamento e o acesso dos passageiros às estações Vila Inhomirim e Fragoso, em Magé.

Além da multa, o Conselho da Agetransp também enfatizou que é obrigação da Supervia oferecer transporte alternativo entre as estações de Fragoso e Vila Inhomirim, em função das inatividades das estações.