Governador do Rio garante instituir PCCS da Saúde até o fim do mandato

Ana Clara Veloso
·1 minuto de leitura

O governador em exercício Cláudio Castro disse que irá instituir o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) da Saúde até o fim de seu mandato. No discurso feito em sessão de abertura do ano legislativo da Alerj, nesta terça-feira (2), Castro reiterou o compromisso após agradecer os profissionais de saúde do Estado, "que de forma heroica vêm se dedicando a salvar vidas".

A menção ao PPCS agradou as categorias de trabalhadores envolvidas. Mas o prazo em aberto gerou preocupação.

— A categoria recebe bem as palavras do governador, mas espera que a efetivação do PCCS, do nosso tão esperado Plano de Carreira, seja imediata. Não dá pra esperar até dezembro de 2022. Bastam as nossas perdas para a Covid-19, e temos que fazer cessar os pedidos de desligamentos voluntários, pois muitos não estão suportando uma remuneração tão aquém de suas competências e responsabilidades — afirmou o Presidente da Associação dos Servidores da Vigilância Sanitária do Estado do Rio, André Ferraz: — Nossa categoria não tem auxílio transporte, adicional noturno, o pagamento por insalubridade está aquém do risco elevado, não recebe o adicional de Qualificação. E as viúvas ainda não viram a gratificação por morte decorrente da Covid-19, prevista na Lei 8865/2020.

Segundo Ferraz, os sindicatos e associações que representam os servidores da Secretaria de Saúde e Iaserj aguardam a segunda reunião, prevista para a primeira quinzena de fevereiro, com o governador Cláudio Castro, a fim de definir os termos e o início da efetivação da Lei 7946/2018.