Governador do Rio se reúne para discutir atos antidemocráticos

Logo Agência Brasil
Logo Agência Brasil

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, vai ser reunir hoje (9), às 10h, com representantes do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), do Ministério Público, do Tribunal Regional Federal, da Defensoria Pública e da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). O objetivo é discutir medidas de enfrentamento contra possíveis atos antidemocráticos no território fluminense.

Para tratar do mesmo assunto, Castro começou o dia reunindo o secretariado do estado no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na região central do Rio e determinou às forças de segurança a permanência de um intenso monitoramento para impedir qualquer ação contra o patrimônio público e privado do estado do Rio de Janeiro.

Notícias relacionadas:

Segundo o governador, é importante que as inteligências da Polícia Civil e Militar trabalhem de forma conjunta, com todos mobilizados para garantir a paz no Rio de Janeiro. “Reitero o compromisso com a sociedade de ser enérgico para garantir a tranquilidade e impedir o fechamento das vias”, afirmou.

A escolha do CICC para a reunião logo no início da manhã desta segunda-feira foi porque o centro recebe, em tempo real, imagens de câmeras instaladas em pontos estratégicos do Rio. Com elas é possível identificar anormalidades que estejam ocorrendo em várias partes da cidade, o que ajuda na tomada mais rápida de decisões para atuação das forças de segurança.

Reforço no policiamento

O secretário de Polícia Militar, Luiz Henrique Marinho Pires, informou na reunião que prédios públicos como o Tribunal de Justiça, Tribunal Regional Eleitoral e a Assembleia Legislativa estão com reforço de policiamento. A Refinaria Duque de Caxias (Reduc) da Petrobras, na Baixada Fluminense, está guardada por policiais do Batalhão de Choque e do Regimento de Polícia Montada.

O governador assegurou que as cenas de violência vistas ontem (8) em Brasília, não serão permitidas no estado do Rio de Janeiro. “Não vamos permitir que haja ataques e que as ruas se transformem em uma praça de guerra no nosso estado”, indicou.

Além de Castro e do vice-governador Thiago Pampolha, participaram da reunião os secretários da Casa Civil, Nicola Miccione; da Polícia Civil, Fernando Albuquerque; do Gabinete de Segurança Institucional, Edu Guimarães; da Administração Penitenciária, Maria Rosa Lo Duca Nebel; da Chefia de Gabinete, Rodrigo Abel; e de Governo, Rodrigo Bacelar.