Governadores dizem que vão ignorar decreto de Bolsonaro para reabertura de salões e academias

CAMILA MATTOSO
***ARQUIVO***FORTALEZA, CE, 03.03.2020 - Governador do Ceará, Camilo Santana (PT), durante coletiva para Folha de S. Paulo. (foto: Jarbas Oliveira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Governadores disseram na noite desta segunda-feira (11) que nada muda em seus estados nas políticas de restrição de circulação e que vão ignorar o decreto de Jair Bolsonaro (sem partido) classificando academias e salões de beleza como serviços essenciais.

Camilo Santana (PT), do Ceará, publicou em suas redes sociais que "apesar do presidente baixar decreto considerando salões de beleza, barbearias e academias de ginástica como serviços essenciais, esse ato em NADA altera o atual decreto em vigor no Ceará, e devem permanecer fechados".

Flávio Dino (PC do B), do Maranhão, disse que "nada muda até o dia 20". E João Doria (PSDB), de São Paulo, afirmou que vai avaliar e deve anunciar sua decisão nesta terça (12).

"Continuaremos com medidas regionais, alinhando medidas locais com os Prefeitos, na proporção da taxa de contaminação", afirmou Rui Costa (PT), governador da Bahia.