Na contramão de Bolsonaro, governadores decidem manter política de isolamento social

Debora Álvares
Governadores de 26 estados conversaram após Bolsonaro afirmar que população precisa retornar à

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro insiste na ideia fazer com que a população brasileira retorne à rotina em meio à pandemia de coronavírus, os governadores dos 26 estados - Ibaneis Rocha, do Distrito Federal, não participou - decidiram manter a política de isolamento social. 

Em reunião nesta quarta-feira (25), os chefes estaduais debateram estratégias para agir, uma vez que o mandatário destoa das orientações da OMS (Organização Mundial de Saúde) e do que vinha sendo estabelecido até então pelo próprio Ministério da Saúde. 

No encontro, que durou mais de duas horas e meia, houve quem defendesse que as conversas dos estados com o governo federal passasse a ocorrer somente através do vice-presidente, Hamilton Mourão - nesta tarde ele recomendou o isolamento e distanciamento social, desautorizando o presidente -, e de alguns ministros-chave, como o da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e da Economia, Paulo Guedes. Contudo, não houve consenso sobre essa questão.

Governadores evitaram ataques diretos ao presidente e focaram na parte técnica e nos assuntos sanitários e econômicos. Porém, houve intervenções chamando a atenção para a importância de respostas políticas, dado o comportamento de Jair Bolsonaro, que costuma alfinetar governadores e rebater com agenda eleitoral.

Na manhã desta quarta, por exemplo, o presidente afirmou que “certas autoridades estaduais e municipais” estão tomando medidas “além da normalidade”. “São verdadeiros donos dos seus estados, proibindo o tráfego de pessoas, de rodovias, fechado empresas, fechando o comércio”, disse. 

Um dos que defenderam a adoção de uma postura política contundente foi o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande. Ele destacou a importância do Congresso e do protagonismo que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem tido neste momento. Falou ainda na necessidade de se fortalecer o Fórum de Governadores como uma instância pela qual o grupo...

Continue a ler no HuffPost