Governadores do PT fazem ofensiva para evitar que Codevasf fique com União Brasil

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - Os quatro governadores do PT, todos da região Nordeste (Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí), iniciaram uma ofensiva conjunta pela indicação da nova chefia da Codevasf, órgão ligado ao Ministério da Integração Nacional com forte capilaridade na região.

Os petistas avaliam que, por tocar projetos estruturantes e ter orçamento robusto, a Codevasf influencia fortemente a política local. Por isso, entendem que o órgão não poderia permanecer sob influência da União Brasil, partido que faz oposição a eles.

O PT não indicou nomes ao cargo, mas definiu um perfil: querem um gestor preparado, que tenha passagem por órgãos federais ou experiência de gestão pública.

No governo Jair Bolsonaro, a Codevasf esteve sob influência do deputado federal Elmar Nascimento (União Brasil-BA), sendo peça central na distribuição de verbas por meio das emendas do relator. Também foi alvo de irregularidades que estão sob investigação do Tribunal de Contas da União.

Conforme revelado pela Folha de S.Paulo, o órgão federal doou e instalou cisternas em residências marcadas com adesivos de propaganda de Elmar Nascimento na véspera da eleição.

Além do PT e da União Brasil, a Codevasf também é disputada pelo PSB de Pernambuco, que planeja indicar para o cargo um nome de confiança do prefeito do Recife, João Campos.

Os pessebistas também estão de olho no comando do Banco do Nordeste, cargo para o qual é avaliado o nome do ex-governador Paulo Câmara (PSB). A indicação, contudo, depende de mudanças na Lei das Estatais, que ainda tramita no Senado.