Governo aguarda sanção do Orçamento para liberar antecipação do 13º do INSS

Geralda Doca
·1 minuto de leitura

A equipe econômica vai aguardar a sanção do Orçamento pelo presidente Jair Bolsonaro, na quinta-feira, para retomar as discussões sobre a antecipação do 13º para aposentados e pensionistas do INSS. A expectativa é que os segurados recebam a primeira parcela da gratificação no pagamento de maio e a segunda, em junho.

A medida vai injetar na economia R$ 52,7 bilhões, considerando 31 milhões de benefícios.

Havia expectativa de que os beneficiários recebessem a primeira parcela do 13º no pagamento de abril, que começa no dia 26. Mas, diante do atraso nas negociações entre Congresso e governo sobre o texto final do Orçamento, não houve tempo suficiente para incluir o benefício na folha do INSS.

A antecipação do 13º para os aposentados faz parte do pacote de medidas do governo para mitigar os efeitos da pandemia e estimular a atividade econômica.

Em 2020, a primeira parcela foi paga entre 24 de abril e 8 de maio e a segunda, depositada de 25 de maio a 5 de junho.


Neste ano, quando o orçamento foi aprovado em 25 de março, Bolsonaro chegou a anunciar a medida para a semana seguinte, mas técnicos da equipe econômica alertaram que seria preciso aguardar a sanção da proposta.