Governo analisa resposta a golpistas e ação militar é considerada

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) analisa a forma de reagir à invasão da Esplanada dos Ministérios por golpistas apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Uma possibilidade não descartada é envolver os militares, com a decretação de uma operação de GLO (Garantia da Lei e da Ordem), prevista na Constituição.

Desde que os atos de vandalismo começaram, no início de tarde deste domingo (8), autoridades do governo estão concentradas no Ministério da Justiça e mantendo contato por telefone

A avaliação preliminar é que apenas contar com a segurança do governo do Distrito Federal não é suficiente.

Lideranças petistas como a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, culparam o governador Ibaneis Rocha (MDB) por não conseguir impedir o quebra-quebra. Houve invasões aos prédios do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal, além de uma tentativa de entrar no Palácio do Planalto.