Governo anuncia crédito de R$ 700 milhões para atender estados afetados pelas enchentes

·1 min de leitura

BRASÍLIA - Enfrentando duras críticas por passar as férias no litoral do país enquanto estados como Bahia e Minas Gerais são castigados pelas enchentes, o presidente Jair Bolsonaro editou, nesta sexta-feira (31), uma medida provisória que abre crédito extraordinário de R$ 700 milhões de reais para o enfrentamento das consequências das chuvas.

O crédito foi aberto por meio do Ministério da Cidadania, que vai cuidar da aplicação dos recursos. Segundo o governo Federal, a medida visa contemplar principalmente Bahia e de Minas Gerais, que são os estados onde milhares de pessoas ficaram desabrigadas ou desalojadas em decorrência de alagamentos, deslizamentos de terra e danos à infraestrutura local.

Esses dois estados têm sofrido ainda com a interdição de estradas, quedas de pontes e viadutos, além da interrupção do fornecimento de energia elétrica e água potável em diversas localidades.

“Cabe esclarecer que a abertura do crédito extraordinário em questão não afeta o teto de gastos e nem o cumprimento da meta de resultado primário”, destacou, em nota, o governo.

Bahia

A Bahia, até o momento, tem sido o estado mais castigado. Segundo dados do governo estadual, 25 pessoas já morreram e outras 517 ficaram feridas em decorrência das chuvas. O número de pessoas que tiveram que deixar suas casas também subiu, para 91,8 mil, assim como aumentou o total de atingidos, que foi atualizado para 643.068 baianos.

O governo da Bahia calcula que serão necessários cerca de R$ 2 bilhões em investimentos apenas para reconstruir as estradas estaduais e federais. Nesta quinta-feira, o governador Rui Costa visitou sete municípios do interior do Estado e comunicou que, na próxima semana, moradores e comerciantes passarão a contar com crédito subsidiado para retomada das atividades econômicas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos