Governo anuncia troca no comando do INSS

Renata Vieira
(Foto: Getty Images)

Em meio à crise das filas do INSS, que tem quase dois milhões de pedidos de benefícios atrasados, o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, anunciou a saída do presidente do INSS, Renato Vieira. Segundo Marinho, Vieira colocou o cargo à disposição por razões pessoais. O substituto será Leonardo Rolim, que é atualmente secretário de Previdência.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

INSTALE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

"Hoje tivemos uma conversa com o presidente Renato Vieira e ele consolidou sua disposição de sair do INSS a pedido. A conversa foi amadurecida ao longo dos últimos 15 dias. O ano passado foi um ano ano bastante intenso, de muitas entregas, e esse ano é muito desafiador. Ele (Vieira) acha que precisa se dedicar a seus projetos, aceitamos sua demissão, comunicamos ao ministro Paulo Guedes e ao Presidente Bolsonaro, amanhã tem formalização desse ato, já com indicação do seu substituto. A ideia é que não haja descontinuidade do trabalho que começou no ano passado”, disse.

Leia também

De acordo com Marinho, a escolha do sucessor permite que o trabalho já conduzido no órgão seja levado adiante.

"Estamos trazendo alguém que tem capacidade operacional e conhecimento técnico que todos vocês conhecem em relação à Previdência. Tem relação estreita com o corpo técnico do INSS", disse Marinho.

O secretário anunciou ainda que além de chamar militares para ajudar a regularizar o atendimento, o governo convidará servidores aposentados do instituto para trabalhar no atendimento a pedidos de benefícios. Isso será feito por meio de contratação temporária, que requer autorização legislativa.

O plano inicial do governo era acionar apenas 7 mil militares, mas a proposta foi alvo de críticas do Tribunal de Contas da União (TCU), que julgou inconstitucional selecionar apenas profissionais das Forças Armadas.