Governo apresentará na próxima semana modelo para saída de isolamento, diz Teich

João Conrado Kneipp
·3 minuto de leitura
Brazil's new Health Minister Nelson Teich speaks after taking office at Planalto Palace in Brasilia, on April 17, 2020. - Teich replaces Luiz Henrique Mandetta, who had several disagreements with President Jair Bolsonaro in conducting the fight against the COVID-19. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Apresentação do modelo de saída do isolamento deverá ser apresentado na próxima semana. (Foto: Evaristo Sá / AFP via Getty Images)

O governo vai apresentar na semana que vem um modelo para ser usado por Estados nas avaliações sobre a possibilidade de saída do isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus, disse nesta quarta-feira o ministro da Saúde, Nelson Teich.

“É impossível um país sobreviver um ano e meio parado. O afastamento é um movimento natural na largada, mas não pode estar desacompanhado de um programa de saída. Isso que vamos desenhar e dar suporte aos estados e municípios”.

Leia também

“Daqui uma semana, entregaremos as diretrizes completas depois de alguns ajustes que ainda vamos fazer. Uma coisa: o Brasil é gigante e heterogêneo, e essas diretrizes serão customizadas para os diferentes estados”, explicou o novo ministro.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Em entrevista coletiva, Teich afirmou que o modelo já possui uma matriz pronta e deve incluir todas as variáveis possíveis, além de projeções de curto prazo, pois "é impossível" estimar a situação no longo prazo. O ministro acrescentou que o governo atuará em cada região do país da forma que considerar mais adequada para a área.

Sem citar a diretamente a flexibilização das medidas restritivas, Teich afirmou que o momento é de “testar”. “Quando você conhece pouco da doença, você tem que ser rápido para fazer o diagnóstico e tomar atitude. É preciso ter a capacidade de agir, diagnosticar a consequência do seu ato e avaliar se é preciso recuar”.

NOMEAÇÃO Nº 2 NA SAÚDE

O ministro da Saúde, Nelson Teich, anunciou o general Eduardo Pazuello como novo secretário-executivo do Ministério da Saúde. O nome do militar como número 2 na pasta foi oficializado em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (22) no Palácio do Planalto.

Pazuello ocupará o cargo deixado por João Gabbardo, que chefiou a secretaria-executiva na gestão de Luiz Henrique Mandetta em meio à pandemia do novo coronavírus.

O general de Exército já começou a trabalhar informalmente na pasta e deve assumir o posto nos próximos dias. Pazuello, por enquanto, é o único nome acertado para a equipe do ministério. Desde a demissão de Mandetta, ao menos cinco de seus então secretários declararam que não ficarão nos cargos.

Principal nome no combate à epidemia, o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, avisou que deixará o posto em 4 de maio. Gabbardo informou que está preparando a transição, nesta quarta, representou o ministério na reunião de ministros do ProSul, grupo de países da América do Sul menos a Venezuela.

Denizar Vianna, Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, deve passar a ocupar uma assessoria especial de Teich, segundo uma das fontes, e indicar um de seus subordinados para o seu cargo atual. Vianna foi sócio de Teich em uma empresa e teve o atual ministro como seu assessor especial até janeiro deste ano.

com informações da Reuters