Governo Bolsonaro interfere no combate à corrupção

(AP Photo/Eraldo Peres)

A ONG Transparência Internacional denunciou que o Brasil é vítima de "ingerência" por parte do presidente Jair Bolsonaro nos órgãos anticorrupção, conforme afirma em seu relatório anual publicado nesta quinta-feira.

Bolsonaro colocou durante sua campanha, em 2018, a luta contra a corrupção no centro de seu programa, mas o Brasil - lamenta a ONG - sofreu neste campo "uma série de contratempos legais e institucionais".

Leia também

A TI denunciou uma "crescente interferência política nas instituições anticorrupção por parte do presidente Bolsonaro".

Também lamentou as decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), que complicam a luta contra a corrupção, como a anulação das delações premiadas.

"A corrupção continua sendo um dos maiores obstáculos ao crescimento econômico e desenvolvimento social no Brasil", afirmou a TI em seu relatório anual.

A Transparência Internacional classifica 180 países a cada ano de acordo com o nível de corrupção percebido no setor público.

A classificação é liderada, como nos anos anteriores, pelos países nórdicos como os menos corruptos, com a Dinamarca em primeiro lugar e a Nova Zelândia em segundo.

A Somália permanece na extremidade inferior, atrás do Iêmen, Síria e Sudão do Sul.

A ONG destaca a situação em Malta, marcada pelo assassinato em 2017 da jornalista Daphne Caruana Galizia, e indica que a ilha está "atolada em corrupção".

"Vários escândalos vinculados aos 'Panama Papers' também contribuem para o declínio de Malta na classificação", explica a TI.

O ONG enfatiza, porém, que em Angola, que saiu de quatro décadas de ditadura, a luta contra a corrupção apresenta efeitos.

A TI comemorou particularmente a demissão de Isabel dos Santos da companhia nacional de petróleo Sonangol.

Dos Santos, que foi proclamada a mulher mais rica da África pela revista americana Forbes em 2013, foi acusada segunda-feira pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) de desviar centenas de milhões de dólares em dinheiro público para contas pessoais.

Da AFP

  • Coronavírus: pastor que chamou epidemia de 'histeria' morre após pregar em carnaval
    Notícias
    BBC News Brasil

    Coronavírus: pastor que chamou epidemia de 'histeria' morre após pregar em carnaval

    Landon Spradlin viajou para pregar no carnaval de Nova Orleans; pouco após compartilhar postagens criticando a mídia e comparando Covid-19 a gripe suína, foi levado a hospital

  • O dia em que a pressão política foi capaz de tirar a caneta da mão de Bolsonaro
    Política
    HuffPost Brasil

    O dia em que a pressão política foi capaz de tirar a caneta da mão de Bolsonaro

    Presidente esteve prestes a "se livrar" de Mandetta. Ministro chegou a comunicar sua iminente demissão a governadores, aliados e à sua equipe.

  • Sasha e João Figueiredo estão juntos desde 2019: ela vai a cultos com ele, que virou vegano por ela
    Estilo de vida
    Extra

    Sasha e João Figueiredo estão juntos desde 2019: ela vai a cultos com ele, que virou vegano por ela

    O namoro assumido com fotos românticas nas redes sociais pode ter surpreendido muita gente. Mas o...

  • Pernambucano de 15 anos é o mais jovem a morrer por coronavírus no Brasil
    Saúde
    Yahoo Notícias

    Pernambucano de 15 anos é o mais jovem a morrer por coronavírus no Brasil

    Ele morreu no dia 27 de março. Inicialmente, apresentou sintomas como febre, tosse e dificuldade de respirar. O resultado positivo para Covid-19 só foi confirmado neste domingo (5)

  • Governo pode liberar nesta terça aplicativo para informal pedir auxílio de R$ 600
    Política
    O Globo

    Governo pode liberar nesta terça aplicativo para informal pedir auxílio de R$ 600

    Decreto presidencial com os detalhes da medida, base legal que permitirá à Caixa dar prosseguimento aos desembolsos, não foi divulgado na segunda-feira nem o cronograma de pagamento.

  • Do natural à 'montação': Iza, Taís Araújo e outras topam desafio viral na quarentena
    Esportes
    HuffPost Brasil

    Do natural à 'montação': Iza, Taís Araújo e outras topam desafio viral na quarentena

    Em tempos de coronavirus, home office, e isolamento social, pijamas e roupasbasicas e confortaveis sairam do armario de muita gente.

  • Estado de São Paulo prevê mais de 100.000 mortes em seis meses por COVID-19
    Política
    AFP

    Estado de São Paulo prevê mais de 100.000 mortes em seis meses por COVID-19

    Mesmo com as restrições da quarentena, o estado espera que o novo coronavírus deixe pelo menos 111 mil mortos em seu território nos próximos seis meses

  • Conheça MC Bianca, moradora da Baixada Fluminense que viralizou com o brega-funk ‘Tudo no sigilo’
    Entretenimento
    Extra

    Conheça MC Bianca, moradora da Baixada Fluminense que viralizou com o brega-funk ‘Tudo no sigilo’

    Carlinhos Maia, Bianca Andrade (Boca Rosa), Aline Riscado, Suzanna Freitas, Carol Nakamura......

  • Gilmar Mendes diz que há 'vácuo no poder' e que Brasil retrocedeu
    Política
    Extra

    Gilmar Mendes diz que há 'vácuo no poder' e que Brasil retrocedeu

    O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta segunda-feira que existe...

  • Coronavírus: China tem primeiro dia sem mortes desde início da pandemia
    Saúde
    Yahoo Notícias

    Coronavírus: China tem primeiro dia sem mortes desde início da pandemia

    Wuhan deve permitir que as pessoas deixem a cidade na quarta-feira pela primeira vez desde que foi fechada em 23 de janeiro para conter a propagação da epidemia

  • Coronavírus: 'Nós vamos continuar', diz Mandetta sobre permanência no cargo
    Política
    Yahoo Notícias

    Coronavírus: 'Nós vamos continuar', diz Mandetta sobre permanência no cargo

    Mandetta voltou a repetir o discurso que 'médico não abandona paciente'

  • Secretária de Saúde do Rio usa remédio polêmico em tratamento contra coronavírus
    Saúde
    O Globo

    Secretária de Saúde do Rio usa remédio polêmico em tratamento contra coronavírus

    Para a pneumologista Margareth Dalcolmo, é necessário estudo clínico da Fiocruz para ter uma informação científica sobre o uso do medicamento para essa doença

  • Lewandowski decide que redução de salário só pode ser adotada com manifestação do sindicato
    Política
    Extra

    Lewandowski decide que redução de salário só pode ser adotada com manifestação do sindicato

    BRASÍLIA - O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta...

  • Classe médica critica Bolsonaro por postura sobre coronavírus, mas antipetismo persiste
    Política
    HuffPost Brasil

    Classe médica critica Bolsonaro por postura sobre coronavírus, mas antipetismo persiste

    Se o segundo turno daquele 28 de outubro de 2018 entre Fernando Haddad (PT) eJair Bolsonaro (sem partido, ex-PSL) tivesse ocorrido neste domingo, dia 5 demarço de 2020, o medico Leonardo Vaz, 25 anos, teria votado novamente no atualpresidente da Republica.

  • Coronavírus no Brasil: “Bolsonaro se acha capaz de esconder os corpos”
    Política
    Yahoo Notícias

    Coronavírus no Brasil: “Bolsonaro se acha capaz de esconder os corpos”

    Em entrevista à Pública, o filósofo Vladimir Safatle afirma que, no Brasil, combate à pandemia passa por uma “mobilização de forma horizontal” da população em direção ao impeachment do presidente

  • Mandetta e pesquisadores apontam em artigo científico que casos de Covid-19 irão até setembro
    Notícias
    O Globo

    Mandetta e pesquisadores apontam em artigo científico que casos de Covid-19 irão até setembro

    Publicado na “Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical”, o trabalho do ministro defende que medidas de isolamento adotada no início podem reduzir até impacto econômico

  • Coronavírus: Ministério da Saúde elabora plano de transição para fase mais branda de isolamento
    Saúde
    Folhapress

    Coronavírus: Ministério da Saúde elabora plano de transição para fase mais branda de isolamento

    A mudança está programada para começar no dia 13 de abril

  • Estado de saúde de Boris Johnson se agrava
    Notícias
    AFP

    Estado de saúde de Boris Johnson se agrava

    O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que testou positivo para o novo coronavírus há 10 dias, deu entrada na unidade de cuidados intensivos (UTI) nesta segunda-feira em Londres.

  • Balançando no cargo, Mandetta tem o passe desejado por governadores
    Política
    Folhapress

    Balançando no cargo, Mandetta tem o passe desejado por governadores

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Balançando no cargo de ministro da Saúde, após o presidente Jair Bolsonaro ameaçá-lo indiretamente de demissão no domingo (5), Luiz Henrique Mandetta tem a aquisição de seu passe especulada por atores do cenário político nacional. O favorito para receber Mandetta no caso de uma demissão até aqui é o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). Ainda está no páreo, com menos chances, o tucano João Doria, que governa o mais populoso estado do país, centro do surto do novo coronavírus no país até aqui. Para o ministro, que foi deputado federal pelo DEM de Mato Grosso do Sul, o protagonismo no manejo da emergência sanitária o tirou do obscurantismo político para uma vitrine nacional de grande impacto. Ter sido o antagonista do seu chefe, Bolsonaro, só o tornou mais atrativo para rivais potenciais do titular do Planalto. Na inusitada situação colocada pela insistência do presidente em criticar o isolamento social adotado pelos principais estados do país, São Paulo à frente, coube a Mandetta ser o interlocutor de governadores na tentativa de coordenar esforços. Isso lhe deu um ganho de imagem, como a pesquisa do Datafolha publicada na sexta (3) provou. A aprovação à conduta do ministro tinha o dobro de aprovação do que a de Bolsonaro. Ir trabalhar com o correligionário Caiado é mais confortável em caso de queda. O governador já disse publicamente que faria do ministro seu secretário de Saúde. O desafio da Covid-19 por ora é mais brando em Goiás do que em São Paulo, e apesar de o governador ter rompido com o governo Bolsonaro, não está numa rixa pública com episódios diários como Doria por não ser um presidenciável óbvio para 2022. Mandetta em si tinha na mira, dizem aliados, a política sul-mato-grossense. Antes da crise, pensava na prefeitura de Campo Grande e, depois, no governo estadual daqui a dois anos. Muito de sua decisão passará pelo DEM: o ministro ouve muito Rodrigo Maia (RJ), o presidente da Câmara, e tem conversado com o poderoso vice de Doria, Rodrigo Garcia, que é do partido. Já São Paulo é atrativo justamente pela possibilidade de manter-se na linha de frente nacional, já que o estado é o maior e o mais atingido do país. Doria não poupou elogios a Mandetta ao longo da emergência, e o ministro desafiou diretamente Bolsonaro ao ir encontrar-se com o tucano logo no começo da crise. Para Doria, um padrão se repetiria se Mandetta viesse para o estado. O tucano aproximou-se da bancada paulista do PSL, partido pelo qual Bolsonaro elegeu-se, quando a sigla rachou no ano passado. Filiou ao PSDB Alexandre Frota, deputado que era garoto-propaganda do bolsonarismo e passou a crítico ácido do presidente. Agora, Doria é o principal opositor de Bolsonaro na condução da crise, e já protagonizaram até uma discussão acalorada por meio de videoconferência. Enquanto isso, é dada como certo a chegada ao governo paulista de um membro da antiga equipe de Mandetta, Júlio Croda, que era diretor de Imunização e Doenças Transmissíveis da pasta e estava afastado após divergências com Wanderson de Oliveira, secretário de Vigilância Sanitária.

  • Trump: 'temos uma grande decisão a tomar'
    Política
    AFP

    Trump: 'temos uma grande decisão a tomar'

    As medidas adotadas no combate à Covid-19 podem causar 'mais danos que o próprio vírus': foi o que sugeriu o presidente dos Estados Unidos Donald Trump, no momento em que o país atinge a cifra inédita de mortes em apenas um dia, com 1.200 óbitos. Trump afirmou, ainda, que o governo tem 'uma grande decisão a tomar'.