Governo Bolsonaro retrata agricultor como caçador e repercute nas redes

·2 minuto de leitura
Nas redes sociais, pessoas associaram imagem a um caçador, não um agricultor (Foto: Reprodução)
Nas redes sociais, pessoas associaram imagem a um caçador, não um agricultor (Foto: Reprodução)
  • Secretaria de Comunicação fez publicação para homenagear o Dia do Agricultor

  • Imagem divulgada nas redes sociais fez com que pessoas associassem o suposto agricultor a um caçador

  • Na publicação, Secom exaltou a flexibilização das armas para agricultores

A Secretaria Especial de Comunicação da Presidência aproveitou o 28 de julho para fazer uma homenagem ao Dia do Agricultor. A imagem divulgada, no entanto, fez com que várias pessoas pensassem em um caçador, não em um agricultor.

A foto mostra a sombra de um homem de chapéu, em meio a mata, segurando uma grande espingarda.

Leia também

“Hoje homenageamos os agricultores brasileiros, trabalhadores que não pararam durante a crise da Covid-19 e garantiram a comida na mesa de milhões de pessoas no Brasil e ao redor do mundo”, escreveu o perfil oficial da Secom nas redes sociais.

O texto ainda exaltou a flexibilização das armas para uso dos agricultores. “O governo brasileiro também conseguiu reduzir a invasão de terras e está melhorando a infraestrutura das estradas, o que reduz os custos de transporte dos alimentos. Além disso, o presidente Jair Bolsonaro estendeu a posse de arma do proprietário rural a toda a sua propriedade.”

Nas redes sociais, muitas pessoas relacionaram o post com caçadores, não agricultores. Foi o caso do deputado federal José Guimarães (PT-CE). “VERGONHOSO. Trocar a enxada por uma arma mostra bem a intenção desse desgoverno de criar milícias rurais. Bolsonaro negou o auxílio emergencial para o campo que aprovamos no Congresso. Prefere investir na violência no campo”, escreveu o parlamentar ao compartilhar a publicação.

Ivan Valente, do PSOL, também reagiu à arte publicada pela Secom: “Hoje é dia do agricultor, não da milícia rural. Trocar enxada por arma é a cara de um governo que nada produz.”

Aumento da quantidade de armas nas mãos de civis

Segundo dados da Polícia Federal, 79% das armas registradas pelo órgão no primeiro semestre de 2021 estão nas mãos da sociedade civil.

Entre janeiro e junho de 2021, foram 97.243 armas de fogo registrada. A cada dez, oito são agora de pessoas físicas. Essas pessoas não usam as armas como instrumento de trabalho, tampouco são CACs – colecionadores, atiradores e caçadores.

De acordo com os números obtidos pela agência Fiquem Sabendo, especializada em Lei de Acesso à Informação, os dados totais deste primeiro semestre ainda revelam um aumento de 31% no número de registros, se comparado com o mesmo período do ano passado, quando a PF registrou 73.985 novas armas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos