Governo da Bolívia inicia campanha por nova reeleição de Morales

Presidente da Bolívia, Evo Morales, durante entrevista coletiva em Berlim, na Alemanha. 04/11/2015 REUTERS/Fabrizio Bensch
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

LA PAZ (Reuters) - O governo da Bolívia iniciou nesta quinta-feira a campanha para uma nova reeleição do presidente, Evo Morales, com a sanção da lei que convoca um referendo que decidirá o futuro do principal fornecedor de gás da América do Sul. O referendo, que ocorrerá em fevereiro, pode abrir as portas para o líder indígena, que assumiu a Presidência em 2006, governar o país andino até 2025. "Esses direitos que custaram tanto para se obter, que custaram tanto recuperar, esses direitos não podemos perder. Companheiros, em 21 de fevereiro decidimos o futuro de nossos netos, o futuro de nossos filhos", disse o presidente do Senado, Alberto Gonzáles, ao promulgar a lei no lugar de Morales e do vice-presidente, que estão viajando. Apesar de anos no governo, Morales mantém sua popularidade por ter promovido a inclusão de grandes setores indígenas e pela melhora dos indicadores econômicos e sociais na Bolívia. O ex-líder cocaleiro reteve no ano passado a Presidência, cujo mandato terminará em 2020 caso perca o referendo, com 61 por cento dos votos. (Reportagem de Daniel Ramos)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos