Governo da Colômbia e ELN discutirão cessar-fogo em fevereiro

O governo da Colômbia e a guerrilha Exército de Libertação Nacional (ELN) concordaram em discutir um cessar-fogo bilateral durante uma segunda rodada de negociações, que terá início em 13 de fevereiro, no México, anunciaram as partes neste sábado, na Venezuela.

"Começará a ser discutido e acordado no México um cessar-fogo bilateral, e será feita uma avaliação conjunta das conquistas e dificuldades na implementação dos acordos alcançados na primeira rodada", assinala um comunicado conjunto lido por uma delegada mexicana nos diálogos de paz.

“Concluída a reunião extraordinária da mesa de diálogos de paz entre o governo da Colômbia e o ELN, realizada entre 17 e 21 de janeiro de 2023, a segunda rodada de negociações foi marcada para o próximo dia 13 de fevereiro, no México”, acrescenta o texto.

As partes dialogaram "visando a superar as divergências apresentadas recentemente, que foram discutidas nesta reunião extraordinária", indica outro comunicado, lido pelo general Carlos Martínez Mendoza, representante do governo da Venezuela, país garantidor do processo, juntamente com Cuba, Noruega, Chile e México.

O atrito ocorreu depois que o presidente colombiano, Gustavo Petro, anunciou em 31 de dezembro um acordo bilateral de cessar-fogo até 30 de junho com o ELN, dois grupos dissidentes das Farc, o grupo do narcotráfico Clã do Golfo e o grupo de origem paramilitar Autodefesas de Sierra Nevada. Três dias depois, representantes do ELN negaram ter acertado uma trégua, o que gerou uma crise nas negociações.

"Acreditamos que essa situação de incompreensão momentânea tenha sido totalmente superada", declarou o chefe da delegação pelo governo da Colômbia, o ex-guerrilheiro Otty Patiño, após o encontro. "A confiança saiu fortalecida."

mbj/ad/lb