São Paulo amplia em 2 horas o funcionamento do comércio, mas restringe os bares

João Conrado Kneipp
·3 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - DECEMBER 10: People wearing face masks walk the busy shopping streets of downtown Sao Paulo on December 10, 2020 in Sao Paulo, Brazil. According to the state of Sao Paulo, the risk of COVID-19 transmission is greater in December than in July during the first peak of the pandemic. (Photo by Rodrigo Paiva/Getty Images)
As novas regras passam a valer a partir deste sábado (12) e terão duração de 30 dias. (Foto: Rodrigo Paiva/Getty Images)

O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (11) a ampliação em 2 horas do horário de funcionamento do comércio e dos shoppings no estado. Já os bares, apontados como maiores pontos de disseminação da Covid-19, sofreram restrição.

As medidas, divulgadas em coletiva de imprensa pelo secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, visam conter o avanço do novo coronavírus no estado. As novas regras passam a valer a partir deste sábado (12) e terão duração de 30 dias.

Os bares, que antes podiam funcionar até às 22h, deverão fechar às 20h. Os restaurantes poderão continuar abertos até 22h, mas não poderão servir bebidas alcoólicas após às 20h. As lojas de conveniência também estão proibidas de vender bebidas alcoólicas depois das 20h, seja para consumo no local ou para viagem.

Leia também

Já os shoppings e comércios, que só poderiam funcionar por 10 horas diárias, tiveram a extensão de horário para 12 horas por dia. Foram mantidas as regras da Fase Amarela do Plano São Paulo de lotação máxima de 40% e de funcionamento restrito até às 22 horas.

“Foi uma decisão técnica entre saúde e comércio para que possamos atender a necessidade de maior distanciamento entre as pessoas, evitar aglomerações, para que todos possam ter suas necessidades agora do fim do ano atendidas. O que está permitido é a manutenção do horário de funcionamento até às 22h, mas com o limite de até 12 horas de funcionamento e 40% de ocupação”, afirmou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

Apesar das mudanças de horário, não foi feita a reclassificação de nenhuma região do estado. Desde o dia 30 de novembro, todas as 16 áreas de São Paulo estão na Fase Amarela do Plano São Paulo. Essa situação só deve ser revista no dia 4 de janeiro de 2021.

“O que estamos anunciando hoje não altera em nada o planejamento do Plano São Paulo. Mas a qualquer momento, se os indicadores apontarem para alguma região que esteja com risco de desasistência ou aumento da transmissibilidade do vírus conforme os indicadores estabelecidos no plano, a qualquer momento ela pode regredir para a Fase Vermela”, relembrou João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus.

RIO DE JANEIRO RECUOU NA FLEXIBILIZAÇÃO

Na quinta-feira, o governo do Rio de Janeiro e a prefeitura da capital fluminense decidiram recuar na flexibilização da quarentena do coronavírus ante uma aceleração de casos e óbitos de Covid-19.

A novas medidas proíbem o estacionamento de carros na orla, acabando com áreas de lazer montadas em avenidas aos domingos e feriados e proibindo uso de piscinas e saunas em condomínios. A decisão prevê também o escalonamento do horário de início de funcionamento das atividades econômicas para evitar as constantes aglomerações nos transportes públicos.

A Prefeitura informou que vai conceder aos vendedores ambulantes legalizados que atuam na orla da cidade cestas básicas enquanto durarem as novas medidas tomadas para reduzir a movimentação de pessoas.

No início de dezembro, o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) e o governador em exercício Cláudio Castro (PSC) anunciaram que shoppings e centros comerciais poderão funcionar 24 horas, com a justificativa de evitar aglomerações no transporte para as compras de Natal.