Governo de SP anuncia o Bolsa do Povo: 'Maior programa social da história'

João de Mari e Anita Efraim
·4 minuto de leitura
O maior programa social da história de São Paulo, diz Doria (Foto: Reprodução)
O maior programa social da história de São Paulo, diz Doria (Foto: Reprodução)
  • Governo de São Paulo anunciou a criação de um novo programa social para o estado: o Bolsa do Povo

  • Programa unificará outros benefícios já existentes, como o Renda Cidadã e o Ação Jovem, e aumentará valores pagos

  • Projeto de Lei, que pede liberação de verba para realização do programa, será enviado ainda hoje à Assembléia Legislativa de São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou, nesta quarta-feira (7), a criação de um novo programa social para o estado: o Bolsa do Povo. Segundo o governo, o benefício poderá chegar a R$ 500 e unificará outros programas já existentes.

"O maior programa social da história de São Paulo. E por que bolsa do povo? Ao lado do enfrentamento da pandemia, da preservação da vida e obediência à ciência, nós estamos acompanhando também um crescimento acelerado da pobreza, da miséria e da vulnerabilidade em São Paulo e no Brasil", disse Doria.

Leia também

De acordo com o governo paulista, serão 2 milhões e meio de beneficiados e 500 mil famílias. Para concretizar o Bolsa do Povo, o valor gasto com os programas sociais já existentes, como o Renda Cidadã e o Aluguel Social, deverá ser ampliado para o montante de R$ 1 bilhão em 2021.

"Para isso, precisamos de um crédito suplementar na Alesp [Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo] através de um projeto de lei enviado pelo governador Doria nesta quarta-feira", afirmou o vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia.

O Bolsa do Povo tem a ideia de unificar e ampliar programas existes no estado de São Paulo em sete eixos. Os beneficiados deverão receber um cartão físico. Também será possível obter o cartão via internet. São eles:

  1. Bolsa Trabalho (emprego);

  2. Ação Jovem e contratação de mães e pais colaboradores nas escolas (Educação);

  3. Bolsa Auxílio Via Rápida (Qualificação profissional);

  4. Bolsa Talento Esportivo (Incentivo);

  5. Bolsa Aluguel Social (Habitação);

  6. Contratação de agentes de apoio (Saúde);

  7. Bolsa Renda Cidadã (Assitência Social).

O vice-governador ainda afirmou que eventuais novos programas, que poderão ser criados, também entrarão no Bolsa do Povo. Segundo ele, para os programas que existem receberão aumento no valor pago.

O Ação Jovem, que incentiva alunos das escolas públicas a continuarem estudando, destinava R$ 80 mensais. Agora, com o Bolsa do Povo, o valor será de R$ 100 por mês. O mesmo acontece com o Renda Cidadã. Antes, R$ 80; agora R$ 100. 

Contratação de 20 mil pais e mães

Além disso, o governo afirmou que irá contratar 20 mil pais e mães de alunos de escolas públicas do estado de SP para trabalharem na rede pública de ensino, nas escolas onde estudam seus filhos, como colaboradores.

"A ideia é que após a aprovação do projeto de lei na Alesp, o secretário de Educação possa contratar os pais e mães para colaborar no retorno às aulas", disse Garcia.

Nesta modalidade, segundo o governo, os pais e mães contratos receberão R$ 500 por mês para atuarem por 4 horas diárias.

Vacinação pelo WhatsApp

Durante coletiva de imprensa, desta quarta-feira (7), o governo anunciou ainda que o estado de São Paulo firmou uma parceria com o Whatsapp. Agora, os paulistas poderão se fazer pré-cadastro no Vacina Já por meio do aplicativo de mensagem. 

Para isso, é preciso mandar uma mensagem para o número (11) 952-202-923 e preencher o pré-cadastro. Com o pré-cadastro, o processo de vacinação diminui o tempo de atendimento de 10 para 1 minuto. 

"O Vacina Já é muito importante e agora a gente conta com uma nova ferramenta, que é o Whatsapp. A partir de hoje, será possível fazer o pré-cadastro para a vacinação contra a covid-19 em todo o estado de São Paulo", explicou Regiane de Paula, coordenadora do programa de vacinação do estado.

Atualmente, o estado está vacinando pessoas de 68 anos, além de forças policiais. João Doria ainda anunciou as datas de início da vacinação de pessoas de 65 a 67 anos.

Calendário de vacinação em São Paulo

  • 12 de abril: início da vacinação de professores

  • 14 de abril: início da vacinação de pessoas com 67 anos

  • 21 de abril: início da vacinação de pessoas de 65 e 66 anos