Governo define meta da inflação de 2025 em 3%

O governo fixou a meta de inflação para 2025 em reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN) nesta quinta-feira (dia 23). A meta é de 3%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual (p.p.) para mais ou para menos, de acordo com resolução do Banco Central.

O Brasil vem sofrendo com a aceleração da inflação e o aperto monetário proposto pelo BC, que vem elevando a taxa de juros para tentar conter a elevação, não vem funcionando. A inflação no país está disseminada, e também sofre a pressão de eventos externos, como a guerra na Ucrânia, que provocou a alta nos preços de combustíveis e energia em todo o mundo.

Para este ano de 2022, a meta de inflação foi estipulada em 3,5%, e não deverá ser atingida. Isso significa que o Banco Central terá de justificar, novamente, esse descumprimento. Em 2021, no primeiro ano de autonomia da autoridade monetária, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, teve de justificar as razões para a inflação fechar em 10,06%, ante os 3,75% estipulados. Para 2022, a projeção é de que a inflação fique perto de 9%.

A missão do BC é trazer o indicador para o intervalo a partir de de 2023. Para o próximo ano, a meta estipulada é de 3,25%. Já para 2024, a meta é de 3%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos