Governo do MT vai investigar irregularidade em sobrevoo de helicóptero em escola

·4 minuto de leitura
Aeronave utilizada pertence ao Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), vinculado à Secretaria de Segurança Pública do Mato Grosso. (Foto: Divulgação/ Centro Integrado de Operações Aéreas)
Aeronave utilizada pertence ao Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), vinculado à Secretaria de Segurança Pública do Mato Grosso. (Foto: Divulgação/ Centro Integrado de Operações Aéreas)
  • Governo do MT vai apurar suposto uso irregular de helicóptero que sobrevoou escola com bandeira do Brasil

  • Pedido por uso da aeronave partiu da escola à Secretaria de Segurança Pública

  • Há dois dias, uma professora do Colégio Notre Dame de Lourdes foi suspensa após fazer críticas ao presidente Jair Bolsonaro

O governo de Mato Grosso irá investigar se ocorreu ou não o uso irregular do helicóptero da SESP-MT (Secretaria de Segurança Pública do Mato Grosso) que sobrevoou uma escola particular em Cuiabá exibindo a bandeira do Brasil.

O episódio, ocorrido na manhã desta quinta-feira (2), acontece dois dias após a direção do Colégio Notre Dame de Lourdes suspender por três dias uma professora que fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e ao governo federal dentro da sala de aula.

"O Governo de Mato Grosso esclarece que irá apurar se ocorreu ou não o uso irregular de aeronave do Ciopaer (Centro Integrado de Operações Aéreas) em sobrevoou na manhã desta quinta-feira", informou a assessoria da SESP-MT.

Os oficiais fizeram um voo baixo, na manhã desta quinta-feira (2), causando ventania e assustando alguns alunos que presenciaram a cena. Os agentes que estavam no helicóptero exibiram ainda uma bandeira no Brasil.

O QUE DIZ A SECRETARIA DE SEGURANÇA DO MATO GROSSO

Ao Yahoo! Notícias, o secretário-adjunto de Segurança Pública, coronel da PM (Polícia Militar) Juliano Chiroli, negou que o sobrevoo de 30 segundos tenha relação com a suspensão da docente e afirmou que tratava-se de um evento de "comemoração à semana da pátria". 

Chiroli afirmou que o pedido para o sobrevoo do helicóptero com a bandeira do Brasil partiu da direção da escola. Além do voo, militares do Ciopaer ministraram palestras e orientações aos alunos sobre o tema “segurança pública” na quarta (1º) e quinta-feira (2), também a pedido do colégio.

O coronel da PM relatou, no entanto, que nenhuma outra escola fez pedidos para demonstrações ou palestras como forma de celebração ao 7 de Setembro.

Em nota, a assessoria da SESP-MT informou que não houve conotação política na exibição da bandeira nacional e que não endossa posicionamentos políticos de seus servidores no âmbito do serviço público.

"Na ocasião, a bandeira do Brasil foi mostrada aos alunos sem nenhuma conotação política, mas no intuito de demonstrar o patriotismo nesta que é uma data importante para o país; (...) Por fim, a Sesp-MT destaca que não coaduna com posicionamentos políticos no âmbito do serviço público e que qualquer excesso cometido pelos servidores da Pasta neste sentido será motivo de medidas administrativas", diz a nota da assessoria.

O QUE DIZ A ESCOLA

Em contato com o Yahoo! Notícias, a escola confirmou que fez um pedido para que a Secretaria de Segurança Pública fizesse palestras aos alunos, realizadas nos últimos dias, além do sobrevoo com a bandeira do Brasil.

O Colégio Notre Dame de Lourdes negou que o pedido tenha qualquer relação com a suspensão da professora que fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro em sala de aula, tratando-se apenas de uma "coincidência".

O objetivo do pedido, segundo a instituição, era trabalhar os símbolos pátrios perto do 7 de setembro, quando é celebrada a Independência do Brasil.

Confira a nota na íntegra da escola:

"Desde o dia 30 de agosto estamos celebrando a Semana da Pátria junto aos alunos da Educação Infantil ao 5º do Ensino Fundamental. Dentro do Projeto da Educação Infantil, os símbolos nacionais são trabalhados para sensibilizar os alunos sobre aquilo que forma nosso País, bem como as pessoas que contribuem para a existência da nossa Nação.

Dentro das salas, os professores trabalharam os símbolos de forma concreta, explorando as cores, as imagens, as formas geométricas e foi proposto para a culminância convidar o CIOPAER (Centro Integrado de Operações Aéreas) para palestras com os alunos e depois uma apresentação lúdica com o helicóptero e a bandeira nacional. É importante ressaltar que o CIOPAER presta serviços ao Estado. Todos os anos a Educação Infantil e Fundamental preparam ações envolvendo os símbolos pátrios, faz parte da ação pedagógica de qualidade da escola.

Por fim, o colégio Notre Dame de Lourdes tem 50 anos de tradição na educação pautada em princípios cristãos e éticos, voltados para a cidadania e para uma formação integral dos alunos. Em nenhum momento da sua trajetória envolveu-se com posicionamentos político-partidários e, ao mesmo tempo, nunca se furtou de propor aos alunos a discussão de ideias."

Entenda o caso

Uma docente disse aos alunos que Bolsonaro é a favor do desmatamento e os comentários foram gravados e compartilhados em grupos de Whatsapp. Na última terça-feira (31), ela foi afastada da escola.

"Ele é a favor do desmatamento. Ele é a favor que os garimpeiros façam destruição dentro das terras indígenas. Além da destruição da natureza, está prejudicando o povo indígena. Os garimpeiros e o presidente da república são a favor disso. Temos que começar a pensar o que queremos para o nosso Brasil", disse a professora na ocasião.

A docente também fez críticas ao voto impresso e afirmou que a mudança teria como objetivo "roubar".

Segundo informações do G1, a declaração foi feita para alunos entre 7 e 9 anos, que estão no 3º ano do ensino fundamental. Após a repercussão negativa entre os pais, a professora foi suspensa durante três dias.

Em nota, o Colégio Notre Dame de Lourdes afirmou que fazer comentários de caráter político-partidários são contra o Código de Ética da escola, que é assinado pelos funcionários. Leia a nota da íntegra:

O Colégio Notre Dame de Lourdes esclarece que tomou conhecimento de que uma professora da instituição fez comentários de caráter político-partidário em sala de aula, infringindo artigo do Código de Ética assinado pelos funcionários, inclusive pelo corpo docente, após palestras de caráter formativo orientadas pelo setor jurídico de São Paulo. Diante do fato, a professora foi suspensa por três dias. A direção do Notre Dame de Lourdes reafirma que não apoia tal conduta e que a opinião expressada não reflete a posição da instituição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos