Governo Doria ameaça multar serviços de saúde que não atualizarem número de vacinados

MÔNICA BERGAMO
·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 14-01-2021: Linha de produção da Coronavac no Instituto Butantan, em São Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/ Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 14-01-2021: Linha de produção da Coronavac no Instituto Butantan, em São Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/ Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo de João Doria (PSDB-SP) ameaça multar em até R$ 290 mil os serviços públicos ou privados de saúde que não atualizarem diariamente o número de pessoas vacinadas contra o novo coronavírus em uma ferramenta digital criada para o monitoramento da campanha.

A Secretaria de Estado da Saúde de SP está incomodada com o que seriam atrasos nas notificações, inclusive da Prefeitura de São Paulo. A administração municipal afirma, no entanto, que está em dia com as informações, tendo registrado já a aplicação de mais de 110 mil doses da Coronavac na cidade.

O secretário de Saúde do estado, Jean Gorinchteyn, afirma que a atualização é fundamental para a rastreabilidade e o monitoramento das pessoas imunizadas.

O governo baixou uma resolução nesta sexta (29) reiterando a obrigatoriedade de que todos os serviços do SUS ou privados que abasteçam diariamente a Vacivida, ferramenta digital criada para o monitoramento da campanha.

As notificações devem ser nominais.

A secretaria afirma que os dados registrados e trafegados têm confidencialidade e inviolabilidade asseguradas, "como ocorre com outros sistemas de informação em saúde, conforme estipula a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados)".​