Governo Doria já começa a imprimir carteira de vacinação contra a Covid para crianças

·2 min de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  15-12-2021, 12h00: O governador de SP João Dória durante coletiva de imprensa após reuniões com os ministros do STF Luiz Fux e Luis Roberto Barroso sobre a pandemia da Covid-19. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 15-12-2021, 12h00: O governador de SP João Dória durante coletiva de imprensa após reuniões com os ministros do STF Luiz Fux e Luis Roberto Barroso sobre a pandemia da Covid-19. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Governo de São Paulo já começou a imprimir o cartão de vacinação contra a Covid-19 que será destinado ao público infantil no estado. São previstas cerca de 4,5 milhões de unidades da carteirinha, que ganhou bordas amarelas e a hashtag #VacinaJá inscrita com letras coloridas.

A gestão João Doria (PSDB) já imprimiu cerca de 800 mil cartões de vacinação para as crianças até esta segunda-feira (27). Com isso, o governo paulista se antecipa ao aval do Ministério da Saúde para o início da campanha de imunização do público infantil.

O modelo foi elaborado pela Secretaria de Comunicação de São Paulo e será disponibilizado em todos os pontos de vacinação contra o novo coronavírus.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, decidiu abrir uma consulta pública sobre a vacinação do público infantil. A iniciativa gerou críticas, já que a imunização foi anteriormente autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Por isso, Queiroga e Jair Bolsonaro (PL) estão sendo acusados de postergar a vacinação desta faixa etária.

​Queiroga nega, e diz que a vacinação ocorrerá já em janeiro. Segundo ele, o texto da consulta já recomenda a imunização, e a consulta serviria apenas para a discussão de procedimentos e melhor informação dos pais.

A Anvisa autorizou no dia 16 deste mês o início da imunização ao público infantil. Desde o início da pandemia, 301 crianças com idade entre 5 e 11 anos morreram da doença.

Até então, o modelo da fabricante tinha o uso permitido no país apenas em pessoas com mais de 12 anos.

"O número de casos de Covid-19 tem sido representativo na população pediátrica. Nós temos um perfil de segurança e reatogenicidade positivo com a vacinação e nós temos resultados importantes de geração de anticorpos nessa população", explicou o gerente-geral de Medicamentos da Anvisa, Gustavo Mendes, na ocasião.

A resolução da Anvisa prevê que as crianças recebam duas doses de 10 microgramas num intervalo de 21 dias e deverá ser publicada na edição extra do Diário Oficial da União nesta quinta.

Apesar da aprovação pela agência, cabe ao Ministério da Saúde decidir quando iniciar essa vacinação. A previsão é imunizar 70 milhões de crianças.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos