Governo Doria retira do metrô material sobre higiene do pênis após queixa de deputado

·2 min de leitura
*ARQUIVO* Sao Paulo, , BRASIL, 15-11-2021:  ***ESPECIAL***  Retrato do  governador Joao Doria (PSDB-SP) durante entrevista no Placio dos Bandeirantes. Doria  disputa previas  neste domingo para tentar ser candidato a presidente  (Foto: Eduardo Knapp/ Folhapress)
*ARQUIVO* Sao Paulo, , BRASIL, 15-11-2021: ***ESPECIAL*** Retrato do governador Joao Doria (PSDB-SP) durante entrevista no Placio dos Bandeirantes. Doria disputa previas neste domingo para tentar ser candidato a presidente (Foto: Eduardo Knapp/ Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A gestão João Doria (PSDB) retirou das suas estações de metrô de São Paulo totens que tratavam da importância da higienização do pênis para a saúde.

Chamada de "Lave o Dito Cujo", a campanha está sendo realizada pelo Instituto Lado a Lado por ocasião do Novembro Azul, mês mundial de combate ao câncer de próstata.

O Brasil é um dos países com maior incidência de câncer de pênis no mundo. A doença tem uma grande prevalência em populações desassistidas, muitas vezes associadas a baixo nível de escolaridade, serviços precários de saneamento básico e pouco acesso a sistema de saúde eficiente.

O material foi retirado horas depois do deputado Tenente Nascimento (PSL) apresentar moção de repúdio ao material na Assembleia Legislativa de São Paulo. Evangélico, ele fala em afronta à família cristã.

Em nota, o governo fala que a campanha não condiz com suas diretrizes e não atende ao objetivo do Novembro Azul.

O parlamentar diz que fez contato com a Secretaria de Comunicação e com a presidência do Metrô na tarde desta quinta-feira (18) e que ambas se comprometeram a retirar o material, o que ocorreria horas depois.

Os totens, que estavam em diversas estações pela cidade, mostravam 40 ilustrações relacionadas ao pênis e continham a mensagem "a higienização correta pode salvar a sua vida".

Nascimento, que é evangélico, diz à reportagem que foi informado da campanha por um pastor que passou pela estação Vila Mariana do metrô.

"[A exposição do material na estação] é inadmissível sob a ótica cultural, educacional, social e religiosa, pois é uma afronta aos costumes e tradição da família brasileira", diz a moção do parlamentar.

"O cartaz é uma afronta. Os desenhos que lá estão são de baixo nível para estar em uma exposição pública. Nem em um museu você vai passar por isso. Passam crianças e todo mundo. Foi uma afronta à família cristã, ou melhor, ao povo. Não é uma questão de religião ou de ideologia", afirma Nascimento.

"Solicitei a retirada e fui prontamente atendido. E pedi também apuração dos responsáveis", completa.​

A mortalidade por câncer de pênis no Brasil se manteve praticamente inalterada entre 2008 e 2018, segundo levantamento do hospital A.C. Camargo Câncer Center.

A média anual é de 400 óbitos. As biópsias utilizadas para o diagnóstico da doença, no entanto, diminuíram, dificultando o sucesso do tratamento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos