Governo enviou SMS a servidores e militares que receberam auxílio emergencial sem ter direito

Extra
·2 minuto de leitura
Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

O governo federal enviou no fim de dezembro mensagens de texto por SMS para servidores públicos e militares que receberam o auxílio emergencial indevidamente. O contato tem como objetivo solicitar a devolução do dinheiro, que pode ser feita por meio do portal criado especificamente para esse procedimento, no site do Ministério da Cidadania.

Segundo informações obtidas pela TV Globo, 1,2 milhão de beneficiários irregulares foram contatados nos dias 21 e 22 de dezembro.

O auxílio emergencial foi criado durante a pandemia para atender a trabalhadores de baixa renda desempregados e que possuíam fonte de renda informal. Servidores públicos e militares possuem vínculo empregatício e, dessa forma, fonte de renda fixa. Por isso, não têm direito a receber o benefício.

De acordo com a TV Globo, 5.929 servidores públicos civis e 4.453 servidores públicos militares solicitaram o auxílio emergencial e tiveram o pedido aprovado, recebendo o pagamento. O inistério da Cidadania não informou à reportagem o motivo pelo qual essas pessoas receberam o benefício, mesmo sem ter direito, pelas regras do programa.

Como fazer a devolução

A devolução dos valores recebidos indevidamente pode ser feita pelo endereço devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br. Basta que o beneficiário informe o número do CPF.

O sistema vai gerar uma guia com o valor integral recebido pelo cidadão. Para isso, será preciso selecionar a opção de pagamento da GRU: “Banco do Brasil” ou “qualquer Banco”.

Para o pagamento no Banco do Brasil, basta selecionar a opção “Não sou um robô” e clicar em “Emitir GRU”. Para o pagamento em qualquer outro banco, é necessário informar o endereço do beneficiário, conforme as informações que serão pedidas após o cidadão selecionar “Em qualquer banco”, marcar a opção “Não sou um robô” e clicar em “Emitir GRU”.

A GRU pode ser paga em diferentes canais de atendimento dos bancos, como internet banking, caixa eletrônico e guichê de caixa.