Governo ‘está coagindo e perseguindo deputados’, diz Baleia Rossi, em entrevista ao GLOBO

Natália Portinari
·1 minuto de leitura
Pablo Jacob / Agência O Globo 06-01-2021

BRASÍLIA — Para o candidato a presidente da Câmara dos Deputados Baleia Rossi (MDB-SP), apoiado pelo atual presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ), o governo federal age “de forma ostensiva” contra sua candidatura, oferecendo cargos e emendas e efetuando retaliações a apoiadores do emedebista. O presidente Jair Bolsonaro apoia Arthur Lira (PP-AL), adversário de Rossi.

Evitando se posicionar sobre a abertura de um processo de impeachment, como pede a oposição, Baleia Rossi diz que irá analisar os casos individualmente se for eleito e que não quer antecipar juízo de valor sobre a atuação de Jair Bolsonaro à frente da pandemia.

Leia abaixo entrevista ao GLOBO.

O fato de muitos deputados estarem declarando voto em Arthur Lira contra a orientação de seus partidos não mostra uma fraqueza da sua campanha?

Meu adversário aposta muito nessa palavra “traição”. Eu aposto na confiança na palavra dos parlamentares. O governo infelizmente está tentando interferir no processo de eleição da Câmara dos Deputados. Está coagindo e perseguindo deputados de forma ostensiva, não só com cargos, mas com emendas extraorçamentárias, o que não é bom para o Parlamento.

O Parlamento se apequena quando tem esse tipo de discussão. Portanto, eu tenho plena convicção da nossa vitória. Não acho que os deputados devam se expor para destruir partidos políticos, para destruir lideranças na Câmara, para destruir unidade partidária.

Enquanto meu adversário aposta na traição, eu tenho confiança que todos os parlamentares vão saber que independência da Câmara é uma garantia de que todos terão participação no diálogo, em uma agenda de Brasil. Que cada uma das propostas vão ser amplamente debatidas. A Câmara de joelhos, a Câmara submissa, perde muito do seu valor, e o parlamentar perde também a importância de poder contribuir com essa agenda de país.