Governo extingue empresa estatal de silos agrícolas

Marcello Corrêa
·2 minuto de leitura
Pablo Valadares / Câmara dos Deputados
Pablo Valadares / Câmara dos Deputados

BRASÍLIA - O governo liquidou no fim de outubro a Companhia de Armazéns e Silos do Estado de Minas Gerais (Casemg), ligada ao Ministério da Agricultura. A operação foi divulgada nesta terça-feira pelo Ministério da Economia.

Segundo a pasta, a companhia registrou prejuízo de R$ 16,8 milhões entre 2011 e 2016. Além disso, despesas administrativas e custos operacionais para manter o negócio chegavam a R$ 19 milhões anuais, no período entre 2017 e 2020.

A Casemg foi criada em 1957 para armazenagem de produtos do agronegócio. Em 2016, a companhia tinha 18 unidades armazenadores, com apenas seis com superávit.

Em nota, o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Diogo Mac Cord, afirmou que a decisão de liquidar uma estatal ocorre quando a empresa não entrega mais o serviço público a que se propôs e o setor privado não tem interesse de absorver a atividade.

Durante o processo de liquidação da Casemg, o governo arrecadou R$ 32,8 milhões com a venda de imóveis.

Em setembro, a União já havia se desfeito de outra estatal, a Companhia Docas do Maranhão (Codomar), criada em 1974. A empresa registrou prejuízo de R$ 64 milhões entre 2014 e 2017, números que saltaram para R$ 152,9 milhões durante o processo de extinção.

Frustração de Guedes

A liquidação das empresas faz parte do processo de desestatização que a equipe econômica tem tentado acelerar. Na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse estar "frustrado" pelo fato de o governo não ter conseguido vender nenhuma estatal em dois anos.

Guedes atribui a um suposto acordo no Congresso a dificuldade de avançar com privatizações em análise pelo Legislativo, como o da Eletrobras, que enfrenta ainda mais resistência após o apagão que atinge o Amapá, por causa de uma falha em uma subestação administrada por uma empresa privada.