Fabricante de armas mais antiga dos EUA se declara em falência

Washington, 26 mar (EFE).- Remington, a fabricante de armas mais antiga dos Estados Unidos, fundada em 1816, solicitou proteção federal por falência, segundo documentos apresentados em um tribunal do estado de Delaware ontem e que foram divulgados nesta segunda-feira por veículos de imprensa locais.

A medida adotada pela Remington Arms Co. e sua empresa matriz, Remington Outdoors, acontece em meio à queda nas vendas que a companhia centenária sofreu, que fabricou vários tipos de pistolas, rifles, fuzis e escopetas desde a sua fundação.

A empresa é agora propriedade majoritária da Cerberus Capital Management, um grupo de capital privado que pretende vender os ativos da fabricante de armas uma vez que o processo de falência seja concluído, informou o jornal "USA Today".

Remington continuará operando sob a proteção do capítulo 11 do código de falência dos Estados Unidos, uma ação que permite que as companhias com problemas financeiros criem um plano de reestruturação para se manter em funcionamento e pagar seus credores.

O diretor financeiro da Remington, Stephen Jackson, garantiu na última apresentação de resultados que a companhia sofreu uma diminuição "significativa" nas receitas e vendas nos últimos 12 meses, segundo o "USA Today".

Este movimento chega pouco depois que um milhão de pessoas, majoritariamente estudantes, saíram às ruas de 800 cidades dos EUA no sábado para reivindicar maior controle de acesso às armas, que ajudaria a reduzir a violência armada em geral e nos centros educativos do país.

O último massacre nos EUA ocorreu em 14 de fevereiro em uma escola de Parkland (Flórida), quando um jovem de 19 anos, Nikolas Cruz, protagonizou um ataque na sua antiga escola com um fuzil de assalto AR-15, e matou 14 alunos e três professores. EFE