Governo federal economiza R$ 1,488 bilhão com o trabalho remoto de servidores públicos e deixa de pagar benefícios

Extra
·1 minuto de leitura

Entre março e setembro de 2020, cerca de 50% dos servidores públicos federais desempenharam suas funções em casa. Em alguns órgãos, como no Ministério da Educação, o percentual chegou a 98% no auge do isolamento social. Com isso, a União não pagou R$ 251 milhões em benefícios, como auxílio-transporte e adicional noturno, entre outros.

No total, o governo federal economizou R$ 1,488 bilhão com o trabalho remoto de servidores públicos, entre janeiro e novembro de 2020. Foram R$ 1,2 bilhão a menos nos gastos em cinco despesas de custeio: diárias; passagens e despesas com locomoção; serviços de energia elétrica; serviços de água e esgoto; e cópias de documentos.

Somente com diárias e passagens a economia nesse período foi de R$ 725,8 milhões. A conta de energia elétrica ficou R$ 426,7 milhões mais barata, e a economia com água e esgoto alcançou R$ 66,3 milhões. Já a economia com cópia e reprodução de documentos foi de R$ 18,8 milhões.