Governo federal quer reunião com governadores para pauta comum e Costa acena ao agronegócio

Rui Costa ao lado de Lula, após ser anunciado ministro da Casa Civil

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O governo federal pretende fazer ainda neste mês uma reunião com os governadores com o objetivo de definir uma pauta em comum, disse nesta segunda-feira o novo ministro da Casa Civil, Rui Costa, em discurso de posse no qual também fez acenos ao setor produtivo, ao agronegócio e ao Poder Judiciário.

"Vamos discutir com os governadores o pacto federativo para que juntos ao longo do ano possamos definir pautas e termos uma governança com uma pauta comum", disse ele, em cerimônia no Palácio do Planalto.

Durante a campanha, o agora presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu realizar um encontro com chefes do Executivo estaduais para definir agendas conjuntas de propostas. Em seu discurso no Congresso, na posse, repetiu o desejo de diálogo com os governadores em torno de propostas.

Rui Costa disse que quer buscar como uma das prioridades iniciais a retomada do Brasil, para sair da paralisia em que se encontra. Ele afirmou que nem mesmo a equipe de transição do governo conseguiu descobrir exatamente quantas obras paralisadas há no país.

O ministro destacou que a nova gestão quer ter um diálogo intenso com o setor produtivo e fez questão de mencionar a relação de parceria que teve, quando era governador da Bahia, com o agronegócio, de quem pretende estreitar laços no novo cargo público.

"Na Bahia nós dialogamos com o agronegócio, vocês são empresários de ponta, utilizando de alta tecnologia, tendo produtividades simbólicas para o mundo e vocês serão convidados a contribuir com esse projeto", ressaltou.

O setor do agronegócio apoiou majoritariamente Jair Bolsonaro nas eleições e a nova gestão quer voltar a ter laços.

Costa também pretende buscar um diálogo com o Poder Judiciário.

"Vamos buscar muito diálogo com o Judiciário estadual e federal para que a gente possa destravar todas aquelas obras que estão judicializadas para que o Brasil possa gerar empregos, renda e melhorar a vida das pessoas", destacou.

Sem a presença de representantes do governo Bolsonaro na cerimônia, coube ao novo líder do governo do Senado, Jaques Wagner (PT-BA), padrinho político de Rui Costa, ter dado posse ao correligionário.

Jaques Wagner, que já foi ministro de gestões anteriores petistas, disse que vai conversar com todo mundo, inclusive com a oposição.