Governo federal vai vacinar atletas olímpicos e paralímpicos

Redação Esportes
·2 minuto de leitura
A child wearing a protective mask to help curb the spread of the coronavirus runs in front of the logos of the Tokyo 2020 Olympic and Paralympic Games Tuesday, Feb. 23, 2021, in Tokyo. Japan began to roll out coronavirus vaccines on Wednesday, a critical move that might boost the Olympics. (AP Photo/Eugene Hoshiko)
Jogos Olímpicos foram adiados para 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus (AP Photo/Eugene Hoshiko)

O Governo Federal decidiu disponibilizar vacinas para todos os atletas brasileiros que competirão nas Olimpíadas e Paralimpíadas de Tóquio, que serão realizadas em julho deste ano, após o adiamento por causa da pandemia do novo coronavírus. A informação foi revelada pelo jornal Folha de São Paulo.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) deve fornecer uma lista com cerca de 2 mil pessoas entre atletas, integrantes de comissões técnicas e colaboradores para serem imunizados. O Ministério da Defesa confirmou a informação e afirmou que a lista deve ser determinada pelo COB.

Leia também:

Atletas que são militares já tinham sido incluídos pelo Ministério da Defesa em uma lista de prioridades para a vacinação.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) já afirmou que não exigirá que os atletas sejam imunizados, mas vários países incluíram atletas que disputarão os Jogos no grupo prioritário.

De acordo com o presidente do COI, Thomas Bach, a China ofereceu vacinas para os atletas que disputarão as Olimpíadas. No entanto, a ministra olímpica japonesa Tamayo Marukawa declarou que os atletas japoneses não poderiam o imunizante chinês porque ele não foi aprovado pelas entidades responsáveis do país.

Estado de emergência

Nesta sexta (23), o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga anunciou estado de emergência em quatro departamentos, incluindo Tóquio, por causa do aumento de contágio após a descoberta das novas variantes do vírus no país.

Na quinta (22), os organizadores dos Jogos anunciaram o primeiro caso de coronavírus no revezamento da tocha olímpica. Um homem que participou do evento na ilha de Shikoku, no oeste do país, testou positivo. 

Em resposta, o comitê local disse que está trabalhando com as autoridades médicas do país para ter "as precauções necessárias e organizar um revezamento da tocha seguro".