Governo pode prorrogar o Auxílio Emergencial

·2 min de leitura
BRAZIL - 2020/04/24: In this photo illustration an Auxílio Emergencial da Caixa application seen displayed on a smartphone. (Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
BRAZIL - 2020/04/24: In this photo illustration an Auxílio Emergencial da Caixa application seen displayed on a smartphone. (Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Razão da prorrogação envolve demora na aprovação da PEC dos Precatórios;

  • Ministro da Cidadania fala em amparar os mais necessitados "custe o que custar";

  • Governo indica prorrogação do estado de calamidade pública em relação a Covid-19;

A demora na aprovação da PEC dos Precatórios pela Câmara dos Deputados já gera consequências para o Governo Federal. Segundo a CNN Brasil, diante da resistência de ala importante na Câmara pela aprovação da PEC, que teve votação adiada, o governo já admite a possibilidade de prorrogar o auxílio emergencial, cuja última parcela foi paga neste mês de outubro.

Segundo o canal de notícias, ministros do governo já indicaram a líderes dos partidos na Câmara que o governo considera nova decretação do estado de calamidade pública em razão da pandemia da Covid-19, abrindo, assim, espaço para que o governo possa gastar além do teto de gastos, enquanto a PEC, que dentre outras coisas, permitiria ao Orçamento espaço para o pagamento do Auxílio Brasil, não seja aprovada.

Leia também:

Segundo fontes consultadas pela CNN Brasil, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e a ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, trataram do tema com os líderes partidários da Câmara nesta quarta-feira (27). A saída é apontada como a grande solução caso a PEC dos Precatórios não consiga avançar no Legislativo.

Embora a ideia de prorrogação do auxílio tenha aderência entre deputados e senadores, integrantes do governo, de acordo com o canal de notícias preparam um discurso para justificar a medida à população: como o Congresso não deu aval à PEC, o presidente Jair Bolsonaro não tem alternativa a não ser prorrogar o auxílio para atender à camada da população que não tem de onde tirar dinheiro.

Representantes do Governo, como o Ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos-BA), prometem esforços para a questão: “O governo está determinado em amparar os mais necessitados. Custe o que custar”, disse o ministro da Cidadania, João Roma, à CNN Brasil na manhã desta quinta-feira (28), sem dar detalhes sobre qual seria a solução.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos